Aeroportos terão reforço policial

Cidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Mauricio Quintella, anunciou nesta quarta-feira (29) que vai pedir reforço no policiamento específico ao Ministério da Justiça para os aeroportos diretamente impactados com a Olimpíadas e a Paralimpíada do Rio de Janeiro, com base nos atentados na área pública do aeroporto de Istambul,  ocorridos na véspera, em de Bruxelas.

“Isso acende uma luz amarela para o governo e para as pessoas que vão frequentar a Olimpíada. Então, vamos pedir que haja maior fiscalização nas áreas públicas dos aeroportos junto ao Ministério da Justiça e, também, de inteligência em cooperação com as agências do mundo todo”.

A demanda estimada nos aeroportos é de um milhão de atletas, membros de delegações e turistas, que devem movimentar cerca de 4,7 milhões de volumes de bagagem nos aeroportos do Rio. Uma novidade no Brasil, para tentar desafogar as filas de embarque, será o check-in e despacho remoto. Os atletas que estiverem na Vila Olímpica poderão despachar suas malas e fazer check-in lá mesmo e as bagagens serão transportadas diretamente para a área restrita do aeroporto e embarcadas nas aeronaves.

Estão sendo esperadas delegações de 206 países e mais de 100 chefes de Estado. A estimativa é que somente no dia da abertura, em 5 de agosto, os aeroportos do Rio registrem entre 900 e mil movimentos de aeronaves executivas. Aproximadamente 2,2 mil controladores de voo já receberam treinamento específico para o evento e mais de mil vagas extras foram ciradas nos pátios dos terminais para o estacionamento de aeronaves no período.