NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Após acidente, imprudência segue na Rua Doutor Paulo César

Após acidente, imprudência segue na Paulo César

Foto: Douglas Macedo

Por Carolina Ribeiro

Dias após uma adolescente de 14 anos ser atropelada em frente aos pais na Rua Dr. Paulo César, em Santa Rosa, próximo ao Colégio Abel, moradores da região e responsáveis por alunos reclamam que a fiscalização do trânsito não foi intensificada pela Prefeitura de Niterói. Ontem, veículos foram flagrados avançando o semáforo fechado para os carros.

O semáforo na via que liga o Centro Esportivo e Cultural La Salle na Paulo César ao Colégio Abel, na Rua Mário Alves, onde ocorreu o acidente, demora quatro minutos para fechar a circulação para os veículos, mas mantém apenas 15 segundos para que pedestres atravessem. Mesmo assim, moradores, responsáveis e alunos que precisam atravessar no local, apontam que motoristas e motociclistas não respeitam a sinalização e avançam o sinal.

“Raramente tem agentes de trânsito nesse trecho, os poucos aparecem à noite. O sinal demora muito a fechar, mas as pessoas acham que esperar alguns segundos vai acabar atrasando e avançam. O mesmo acontece com pedestres que atravessam no sinal aberto. Não há respeito, por isso precisa de fiscalização. Diariamente há risco de acidentes”, contou o morador da área, o protético Cristiano Alves, de 34 anos.

O coordenador de segurança do Colégio Abel, Bené Narciso, ressaltou que a instituição solicita mais fiscalização à prefeitura que já encaminha agentes de trânsito para a região nos horários de entrada/saída de alunos, porém, a medida não é suficiente.

“Solicitamos que seja instalado um radar de 40Km/h para o semáforo, pois os motoristas andam todo o dia em uma velocidade que não condiz com a pista, uma área residencial e escolar”, apontou. 

Muitos pais de alunos solicitam que a passarela existente dentro da instituição, que liga o colégio ao Centro Cultural La Salle, seja utilizada para a travessia de todos os alunos, evitando que os mesmos acessem a faixa de pedestres. 

O Colégio La Salle Abel esclarece que o uso da passarela é destinado para a travessia dos estudantes durante as aulas de Educação Física que são realizadas no Centro Cultural. O colégio afirmou que estuda a implantação de um sistema de controle de acesso com catraca para possibilitar o uso da passarela em todos os turnos pelos estudantes. Segundo a direção, será enviada, na quarta-feira, uma mensagem do diretor a toda a comunidade educativa. 

Em nota oficial, o Colégio La Salle Abel informou que iria enviar na segunda-feira um novo ofício à prefeitura de Niterói e que havia uma promessa de visita de uma comissão do Executivo Municipal ainda ontem para reunião com a direção do colégio, que não foi feita. Quanto à fiscalização do trânsito, a instituição ressaltou que observou durante o dia de ontem a presença de dois guardas municipais próximos à faixa de pedestres entre as ruas Paulo César e Mário Alves. 

De acordo com a NitTrans, 15 operadores de trânsito são destacados para a orientação do trânsito no entorno de mais de 100 escolas da cidade em horários de entrada e saída de estudantes, de acordo com a prioridade, definida no planejamento operacional de engenharia de tráfego realizado diariamente. A NitTrans informa, ainda, que a cada início de semestre letivo em Niterói realiza a campanha municipal de Educação Para o Trânsito “Voltas às Aulas”, cujo objetivo é conscientizar e orientar sobre a importância do respeito às leis de trânsito. A Prefeitura de Niterói não comentou sobre os ofícios enviados pelo colégio.

Acidente – O atropelamento aconteceu na última quinta-feira (1º) quando a jovem saía da aula por volta das 14h30 no Centro Esportivo e Cultural La Salle, em frente à escola, e iria atravessar a Rua Dr Paulo César para encontrar os pais. Testemunhas e familiares apontam que a adolescente atravessou na faixa de pedestre quando os veículos pararam no semáforo fechado, mas foi atingida quando um motociclista, que portava um kit de entrega, tentou ultrapassar o farol.

A adolescente foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Icaraí, no Centro de Niterói, e ficou em observação na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) com ferimentos leves até a última sexta-feira (2). No sábado (3), após avaliações de médicos (pediatra, ortopedista e cirurgião geral), ela teve alta e está em casa de repouso.

“Graças a Deus, minha princesa está se recuperando bem, as lesões e escoriações não foram graves. Mas não é só físico. Eu ensino minha filha a respeitar as leis e a fazer o que é certo, tanto que ela estava certíssima. Mas imagina minha sensação de impotência vendo o motoqueiro infringir a lei? Acho que a Prefeitura tem que colocar um radar para multar avanço de sinal e a manter a guarda municipal, não adianta apenas ronda escolar”, afirmou a mãe da adolescente, Silvia Cristine Oliveira, ressaltando que a escola tem atividades ao longo de todo o dia.

O caso está sendo investigado pela 77ª DP (Icaraí), onde foi registrado como lesão corporal.

 
Scroll To Top