Até quando, Enel?

Cidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

No último domingo, 28 de abril, um tufão passou por nossa cidade, trazendo ventos muito fortes e chuva. Como infelizmente costuma acontecer, vários bairros ficaram sem luz, trazendo prejuízos para o comércio e para a população.

Em 2018, a Enel aumentou a tarifa em quase 20%, justificando o reajuste com o investimento em melhorias no serviço e na dificuldade que a empresa tem em realizar a cobrança nas comunidades. Na época, a CDL Niterói entrou com uma ação na justiça, a qual não foi suficiente para promover a diminuição do reajuste aplicado pela concessionária. 

Quando houve a privatização do serviço de distribuição de energia, a expectativa geral era, justamente, de desburocratizar os processos, tornar o atendimento às necessidades da população mais eficiente e, claro, aumentar a qualidade dos investimentos no setor. Contudo, o que recebemos é, desde então, o oposto. A frustração por não termos o serviço pelo qual pagamos – muito caro – é geral. Os comerciantes, por exemplo, podem entrar com ações na justiça para reaver o dinheiro de prejuízos causados pelas constantes faltas de energia na cidade, mas esse é um processo caro e demorado.

CPIs na Câmara dos Vereadores já foram realizadas para investigar a empresa, frequentemente entramos em contato com a Enel para entender o que está acontecendo e pensar em soluções, mas nada disso parece adiantar. Os problemas continuam e, pior ainda, nós seguimos sem respostas satisfatórias. A pergunta que fica é: até quando seremos desrespeitados dessa forma pela Enel? A CDL Niterói segue pressionando a empresa e todos os órgãos cabíveis, em busca de uma solução efetiva para a situação. Unidos somos mais fortes.