NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Avança obra na Região Oceânica

No canteiro de obras montado no Cafubá, operários trabalham 24 horas por dia na terraplanagem do tereno, ocupado por máquinas e conteineres

Evelen Gouvêa

A perfuração do Túnel Luiz Antônio Pimentel, que ligará a Região Oceânica à Zona Sul de Niterói e que faz parte das Obras da TransOceânica, começará nas próximas semanas, segundo informou a Prefeitura de Niterói. Isso porque faltam apenas alguns detalhes da autorização do Exército para que haja implosão em parte da rocha que fica sob a sua jurisdição.

Enquanto a perfuração ainda não começa, é possível ver o canteiro de obras montado no Cafubá. Com  contêiner, escavadeiras e operários trabalhando 24 horas por dia, os trabalhos de terraplanagem já foram iniciados no início deste mês.

Em visita a Niterói no início do mês, o governador Luiz Fernando Pezão ressaltou o comprometimento do prefeito Rodrigo Neves em conseguir os recursos necessários à obra. 

“Rodrigo é um parceiro do Estado. Lembro de quando ele assumiu a prefeitura com dificuldades e hoje, com trabalho, a cidade é outra, próspera e com muitos desafios”, disse durante a visita.

Já o Prefeito Rodrigo Neves disse que a sua expectativa é de que o túnel fique pronto dentro de um ano, a partir do início da sua perfuração.

“Estamos a um passo de começar a obra viária mais importante da cidade depois de 40 anos de espera. Isso só foi possível graças ao excelente trabalho do vice-prefeito Axel Grael, nossos secretários municipais, o Inea, que concedeu a licença, e principalmente ao Governo do Estado, nas pessoas do Pezão e do secretário de Meio Ambiente André Corrêa”, disse o prefeito. 

Além disso, a prefeitura já iniciou o processo de desapropriação de 34 imóveis para as obras. De acordo com o projeto, o objetivo é  causar o menor impacto possível na cidade.

Projeto – A TransOceânica terá 9,3 km, 13 estações em 11 bairros da Região Oceânica e capacidade para transportar cerca de 80 mil pessoas por dia. O percurso completo será feito em 25 minutos e está prevista a integração com a estação hidroviária de Charitas, que será transformada em um terminal intermodal. 

A via expressa contará com faixas exclusivas de ônibus no sistema BHLS (Bus of High Level of Service), o primeiro implantado na América do Sul, equipados com ar-condicionado e com portas de ambos os lados. O corredor viário também contará com ciclovia.

O investimento total das obras da TransOceânica é de R$ 310.894.585,00, com recursos do governo federal e da Prefeitura.

Scroll To Top