NITERÓI/RJ
Min:   Max:

BRT mudará trânsito na descida da ponte

Acesso à Francisco Bicalho pela pista da direita da Av. Brasil deverá ser fechado até o fim do ano, na altura do Into

Foto: Evelen Gouvêa

A construção do BRT Transbrasil (Deodoro/Centro do Rio) vai alterar a rotina de motoristas e passageiros de ônibus que descem da Ponte Rio Niterói em direção à Av. Francisco Bicalho, no Centro. Por conta do corredor viário que está sendo construído na Av. Brasil, terá duas faixas no trecho sob o Viaduto do Gasômetro, e deve ficar pronto até o fim do ano, o acesso à via pela pista da direita da Av. Brasil será fechado em até dezembro, na altura do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into). Além dos automóveis, pelo menos 44 linhas de ônibus utilizam este trajeto, segundo levantamento do Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj).

Com a medida, que prevê a segregação do corredor viário com concreto, impedindo a travessia de veículos para a Francisco Bicalho, quem desejar acessar a avenida deverá seguir pelo Viaduto do Gasômetro. Não há alteração para quem desce na altura do Into em direção à Av. Rodrigues Alves/Túnel Marcelo Alencar e Zona Norte.

De acordo com o Setrerj, das 84 linhas de ônibus que param no ponto do Into, 44 seguem em direção à Francisco Bicalho, outras 20 seguem em direção à Rodrigues Alves e as demais seguem em direção à Zona Norte. Márcio Barbosa, presidente executivo da entidade, acredita que a mudança dará um nó ainda maior no trânsito da região, além de prejudicar mais da metade dos passageiros cujo ônibus desce no Into. Para ele, a solução de veículos seguirem pelo Viaduto do Gasômetro não atende a população e informou que o sindicato não foi avisado da alteração, mesmo tendo participado de uma reunião em abril com a Secretaria de Transportes do Rio, onde o BRT foi o tema do encontro.

“Pode ser que o passageiro consiga outra opção de ônibus - pela Rodrigues Alves - para o ponto do Into, mas não terá para a Rodoviária Novo Rio. Dependendo de onde o novo ponto será localizado na Francisco Bicalho, terão que pegar outra condução, pois será longe para caminhar. Esperávamos ser convocados para novas reuniões para alterações, mas o projeto não foi apresentado, assim como um estudo de impacto da medida”, afirma.

Mudanças – A secretaria explicou que o ponto do Into - na pista esquerda da Avenida Brasil -, utilizado por mais de 2,5 milhões de passageiros mensais de 84 linhas de ônibus, principalmente de Niterói, São Gonçalo, Maricá e Itaboraí, não será extinto. Porém, os ônibus que descerem da Ponte nesta rampa somente poderão seguir pela Av. Rodrigues Alves/Túnel Marcelo Alencar. Desta forma, pelo menos 44 linhas, que fazem seu trajeto acessando a Francisco Bicalho pela descida do Into, serão afetadas. O ponto é utilizado para acesso à unidade hospitalar e para baldeação em direção a Baixada Fluminense e outros lugares.

Ainda de acordo com a SMIH, para passageiros de Niterói, São Gonçalo, Maricá e Itaboraí, o passageiro que pretende continuar desembarcando no ponto do Into terá que pegar os ônibus que seguirão para o Túnel Marcelo Alencar/Rodrigues Alves ou até a própria Francisco Bicalho - pelo Viaduto do Gasômetro - e fazer o transbordo de volta para a outra pista. Já para veículos e ônibus que seguem pela Avenida Brasil, o trajeto para a Francisco Bicalho será pela Rua Sá Freire, passando pela lateral do Into.

Sobre a alteração do fluxo de veículos no trecho, a Ecoponte, concessionária que administra a Ponte Rio-Niterói, afirmou que têm buscado formas de minimizar qualquer impacto na Ponte provocado por ajustes da Prefeitura do Rio nos acessos à capital fluminense devido às obras do BRT na Av. Brasil.

Novo viaduto – Para atenuar o trânsito, a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação (SMIH) do Rio afirmou que será criado um viaduto de acesso da antiga Perimetral, que foi derrubada no governo do ex-prefeito Eduardo Paes, para a Avenida Rodrigues Alves. A secretaria, no entanto, não informou detalhes sobre o projeto. 

Scroll To Top