NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Centro de Artes UFF suspende atividades

Espetáculos estão suspensos a partir de maio

Foto: Colaboração / Carolina Ribeiro

Artistas e produtores foram surpreendidos neste domingo (14) com um e-mail informando o cancelamento dos espetáculos previstos para entrarem em cartaz no mês de maio no Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense (UFF). O motivo é que cerca de 90% do corpo técnico do espaço é constituído por prestadores de serviço terceirizados. Sendo que as empresas contratadas, por não receberem há meses os repasses financeiros da UFF, deixaram de pagar os salários e encargos de seus contratados, terceirizados da universidade.

No caso específico do Centro de Artes UFF, segundo os funcionários, estão sem receberem nem mesmo o dinheiro das passagens. 

Sem esses técnicos terceirizados, segundo a direção não há como o Centro de Artes UFF manter as atividades de seus espaços - Cine Arte UFF, Galeria de Arte UFF e Teatro da UFF - o que levou à decisão de suspensão de todas as atividades desses espaços já a partir de maio.

“Assim que tudo for restabelecido em relação aos terceirizados, voltaremos a programar o Teatro da UFF, assim como os demais espaços, dando prioridade aos espetáculos que, agora, estamos sendo obrigados a cancelar”, escreveu o Robson Leitão, diretor do Teatro da UFF. 

Surpreendida com o cancelamento das apresentações do espetáculo “O menino detrás das nuvens” a produtora cultural Camille Siston lembra que o espaço tem um compromisso, previsto em um contrato, com essas equipes.

“Há dois tipos de prejuízos, um é do cronograma físico, pois esta é a estreia de um espetáculo que teve sua última montagem há 10 ano, marcando inclusive o retorno do diretor, Carlos Augusto Nazareth, também autor da obra. Ele está desde janeiro reconstruindo todo o espetáculo, isso envolve cenário, figurino, objeto cênico, contratação de professor de dança, circense. Ensaios e mais ensaios. Tudo feito com recurso próprio, sem algum patrocínio. O outro prejuízo é o da divulgação, já investi R$ 1.300 só de material gráfico. Rodamos tudo na quinta-feira passada”, lamenta Siston.

Mais do que rescisão de contratos, o maior prejuízo  com o fechamento do Centro de Artes UFF é o social, educativo, cultural e, principalmente, artístico, segundo Camille.

“É um espaço único em Niterói, que concentra o hibridismo da arte, envolvendo o teatro, artes plásticas e cinema. Alunos da faculdade de cinema de produção cultural e outras áreas utilizam o espaço para experimentar suas produções. O teatro da UFF é palco de projetos que jamais teriam espaço em outro teatro na cidade, até porque temos poucas opções. Local de uma arte democrática e com acessibilidade para quem não tem condição de pagar o absurdo que a indústria cobra no valor do ingresso. Qual cinema você encontra os filmes que passam ali e pagando apenas R$ 4 ou peça infantil a R$ 20 a meia entrada”, lamenta a produtora.

Procurada, a UFF afirma que é muito cedo pra afirmar que durante todo o mês de maio a programação do Centro de Artes UFF será cancelada, já que pode acontecer de receber alguma verba, ou seja, uma situação imprevisível. 

Scroll To Top