NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Circo nas areias da Boa Viagem

A atividade foi promovida pelo grupo Fantástico Mundo, que oferece aulas de acrobacias, alongamento, yoga e acroyoga nas areias da praia

Foto: Lucas Benevides

A praia de Boa Viagem, na Zona Sul de Niterói, foi palco de um grande espetáculo circense na manhã do sábado, dia 29. Cerca de 30 adeptos da prática do tecido acrobático se reuniram em um encontro a céu aberto, que atraiu a atenção de quem passava pelo local. A atividade foi promovida pelo grupo Fantástico Mundo, que oferece aulas de acrobacias, alongamento, yoga e acroyoga nas areias da praia.

Diante da paisagem de um dos maiores cartões-postais da cidade, os praticantes instalaram os tecidos acrobáticos em toda a extensão da ponte da Ilha de Boa Viagem e iniciaram as atividades sob os olhares dos turistas que visitavam a região. De acordo com a fundadora do projeto, Val Martins, 33 anos, a iniciativa visa oferecer bem-estar e qualidade de vida para jovens, adultos e idosos que têm interesse pelas práticas circenses.

“Sou natural de Brasília e decidi morar em Niterói porque sonhava com a oportunidade de viver próximo ao mar. Quando vim à praia de Boa Viagem, percebi que era o lugar ideal para desenvolver minhas habilidades em acrobacia nas horas livres. Em janeiro deste ano, outros moradores da cidade se uniram a mim e, semanalmente, a gente transforma a praia em um grande circo”, explicou.

No mês passado, a estudante Isabela Amaral, 22 anos, descobriu o grupo enquanto caminhava pela orla e decidiu fazer parte da iniciativa. Ela conta que já integrou uma companhia de circo, em Búzios, na Região dos Lagos, mas nunca imaginou praticar aulas de tecido acrobático às margens da praia.

“Cada aula é uma experiência nova, porque, quando estou aqui, me sinto completamente conectada à natureza. Hoje, a prática é uma terapia que me oferece bem-estar, disposição e flexibilidade. Ou seja: consigo beneficiar minha saúde por meio de uma atividade que é meu hobby favorito”, afirmou a estudante.

O fotógrafo Pedro Elias, 20 anos, foi um dos primeiros integrantes a entrar no grupo e revela que pensa em se profissionalizar na arte. Atualmente, ele aprimora a prática durante as aulas e garante que já evoluiu ao longo dos meses.

“Descobri a iniciativa na rede social e fiz questão de conferir pessoalmente porque amo o mundo do circo, as práticas artísticas e o modo como nosso corpo se movimenta a cada motivação. Me tornei um verdadeiro adepto e não me vejo longe das acrobacias”, admitiu. 

Scroll To Top