Cobrador diz ter sido vítima de injúria racial

Cidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Caso foi registrado como injúria racial na 76ª DP (Centro) de Niterói

Júlio Silva


O que poderia ser um dia normal de trabalho para um cobrador de ônibus da Auto Viação Nossa Senhora do Amparo se tornou um caso de polícia na manhã desta segunda-feira (15), na Avenida Feliciano Sodré, no Centro de Niterói.

O cobrador, de 36 anos, disse ter sido vítima de injúria racial, ao ser ofendido por um passageiro de 57 anos, comerciante de Niterói. O caso está sendo investigado na Delegacia do Centro, 76ª DP.

O cobrador, que teve o nome preservado pela empresa, contou que por volta das 7h15 o coletivo, que faz o itinerário Niterói-Jóquei, em São Gonçalo, chegava próximo ao Moinho Atlântico quando o homem, que passava pela roleta, o ofendeu.

“Ele chegou a passar a mão no braço, para mostrar que éramos diferentes. Ele branco e eu negro. Até mesmo de cachorro eu fui chamado”, desabafou o cobrador.

De acordo com a Polícia Civil, os dois envolvidos estiveram na delegacia e prestaram depoimentos sobre o incidente. O acusado foi indiciado por injúria racial e acabou liberado.

“Infelizmente, uma situação como esta ainda acontece em nosso país. Como não houve o flagrante e nenhuma outra pessoa testemunhou, o homem acusado acabou liberado”, disse um policial na delegacia.