NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Complexo B: adiada audiência de Salim

O advogado e empresário Michel Salim Saud, de 48 anos, acusado de ser o mandante do assassinato de parentes do estilista Beto Neves, da grife Complexo B, foi convocado para depor nesta quarta-feira (16) à tarde, no Fórum Patrícia Lourival Acioli, em São Gonçalo. Mas, devido a um recurso lançado por seu advogado, Nélio Machado, o interrogatório foi adiado para fevereiro do ano que vem.

O advogado de defesa do réu alegou que o laudo médico da psiquiatra, que atestou sanidade de Michel Salim, precisa ser revisto. Ele alegou também que precisa colher mais relatos das testemunhas de defesa.

Segundo Beto Neves, o argumento do advogado Nélio Machado foi mais uma manobra para ganhar tempo e empurrar o julgamento. 

“A prorrogação do julgamento acarreta mais gastos para a Justiça e mais angústia para a família. Enquanto aguarda julgamento, segue preso tentando alguma brecha para desfrutar de regalias dentro do presídio”, disse Beto Neves, lamentando que o acusado continue negando que foi o mandante do crime, ocorrido em agosto de 2013. 

“Na última audiência que o vi, ele estava completamente bronzeado. O problema é que ele acredita que está acima da lei, que pode comprar todo mundo. Já tentou o benefício de ficar preso em uma sala de Estado-Maior da PM. Tentou também conseguir ficar em prisão domiciliar, mas não deu certo, o que para nós foi uma vitória. Senão, o julgamento só seria realizado daqui a 15 anos. O meu desejo é que ele pegue pena máxima por crime hediondo. Ele precisa ser isolado da sociedade. É um homem frio, calculista e tem desvio de caráter”, declarou o estilista.

Por medida de segurança, o processo foi desmembrado pela Justiça em duas partes. Uma dedicada a Salim e outra, ao caso dos acusados de serem os executores do crime, o segurança Romero Rocha e o motorista Pablo Medeiros, que irão a júri popular no dia 17 de maio do ano que vem. 

Em 2014, investigações da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo apontaram que havia um plano de Salim para matar Romero, que o delatou como mandante do assassinato de Linete Neves e Manuella Neves, mãe e sobrinha de Beto Neves, além de Rafany Pinheiros, noivo de Manuella. 

Procurado, o advogado Nélio Machado não se pronunciou.

Scroll To Top