Descaso com a educação em SG

Cidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Alunos que deveriam ser liberados às 11h45 tomavam a calçada da E.M.P. Castello Branco durante o horário de aula

Foto: Evelen Gouvêa

Na manhã de ontem, alunos da Escola Municipal Presidente Castello Branco, no bairro de Brasilândia, em São Gonçalo, saíram, mais uma vez, mais cedo da escola. O descaso da prefeitura tem feito com que, desde o início deste ano, os alunos venham sendo liberados antes do horário regulamentar. Em pleno horário escolar, os menores de idade, alguns até mesmo sem o uniforme da prefeitura, já estavam pela calçada da escola. O motivo? Não havia professor para dar aula, então foram liberados mais cedo.

“Na terça, só temos aula de matemática. Na quarta, só de inglês. Na quinta, só de artes. Na sexta, temos matemática e educação física. Ou a gente tem tempo vago ou adiantam a aula, aí a gente é liberado mais cedo. Só na segunda-feira que temos todas as aulas, que são as de história e geografia”, disse Wendell, de 13 anos, aluno do nono ano do ensino fundamental na instituição.

Os problemas da escola não se limitam só à falta de professores. Na semana passada, o fogão da escola quebrou, portanto, os alunos também estão sem almoço.

“Antes até tinha almoço, mas, agora, com o fogão quebrado, eles tão servindo só o lanche”, alegou Fernando, de 15 anos, que estava sem a camisa da escola – utilizando apenas uma blusa toda branca – porque a prefeitura não forneceu o uniforme escolar deste ano.

Rosimar dos Santos, mãe de uma aluna do 9° ano, declarou que a filha sempre sai mais cedo da escola

Foto: Evelen Gouvêa

Para a mãe de uma das estudantes, Rosimar dos Santos, de 51 anos, a falta de professores vem desestimulando o aprendizado das crianças e dos adolescentes.

“Ultimamente, eu tenho ficado aqui direto esperando, porque sei que meu filho vai sair cedo. A passagem de ônibus também é supercara, R$ 4,25, não tenho esse dinheiro. Além disso, a minha filha ficou preguiçosa, ociosa, porque não tem nenhum incentivo da escola. A gente fica triste, né?”, disse a dona de casa moradora do bairro de Trindade, mãe de uma aluna do 9º ano.

Segundo pais de alunos, as unidades Creche Municipal Formando Vidas e a Escola Municipal José Manna Junior também sofrem com falta de merenda.

Procurada, a Prefeitura de São Gonçalo, representada pela Secretaria de Educação, informou que os estudantes foram liberados mais cedo na quinta-feira passada devido a uma reunião com os pais de alunos. Além disso, o Executivo municipal alegou que, ontem, a unidade realizou reunião pedagógica. No mais, o órgão esclareceu também que “as aulas estão ocorrendo normalmente, assim como as refeições dos alunos também estão normalizadas”.