Desfile da Independência reúne 6 mil em Niterói

Niterói
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Nem mesmo o sol forte foi motivo para deixar os niteroienses em casa na manhã deste feriado do Dia da Independência. Antes mesmo das 9h, cerca de 6 mil pessoas se reuniram na Avenida Ernani do Amaral Peixoto, no Centro de Niterói, palco do tradicional desfile cívico de 7 de setembro, ato comemorativo à independência do Brasil. A solenidade foi acompanhada por diferentes gerações, principalmente crianças, além de autoridades do município.

Como tradicionalmente acontece, o desfile foi iniciado com o ato simbólico de hasteamento das bandeiras do Brasil, do Rio de Janeiro e de Niterói, realizado pelo prefeito Rodrigo Neves. Tropas do Exército Brasileiro foram as primeiras a passar pela Amaral Peixoto, acompanhadas da banda da Artilharia Divisionária Cordeiro de Farias, arrancando aplausos do público.

Em seguida, fuzileiros navais, homens do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e da Guarda Municipal abrilhantaram o desfile, exibindo carros de uso das corporações.

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, acompanhou o desfile do início ao fim e destacou a grandeza do evento. Para ele, a cidade vem resgatando a tradição da data, atraindo um público cada vez maior.

“Foi o desfile militar mais bonito e organizado dos últimos 20 anos. Eu fiquei muito feliz de ver a disposição, a força e a organização das diversas instituições e forças públicas que desfilaram. Realmente, Niterói, mais uma vez, se destacou com esse desfile primoroso”, declarou o prefeito, que ainda ressaltou a importância de demonstrar amor à Pátria no atual momento que o país vive hoje.

“Acredito que 7 de setembro é um dia que precisa ser celebrado com cada vez mais intensidade, porque o Brasil não pode ter um sentimento de nacionalidade apenas na Copa do Mundo. O Pavilhão Nacional e essas datas precisam ser celebradas com mais entusiasmo. E é por isso que eu vim aqui. O Brasil precisa disso nesse momento, de união entre todos os brasileiros”, disse Rodrigo Neves.

Público se emociona com o desfile da Independência em Niterói

Foto: Douglas Macedo

O ponto alto da solenidade foi a passagem da Tropa Mirim da Guarda Municipal, que participou do 7 de setembro pela primeira vez no ano passado. Mais de 60 crianças, de 6 meses a 14 anos, entre filhos e netos dos agentes, faziam parte do grupo. Eles desfilaram com os mesmos trajes de seus familiares.

“Já aumentamos o número de participantes da Tropa Mirim este ano e abrimos espaço para outras crianças, não só filhos e netos dos guardas, mas também de comerciantes, bancários e outros que gostaram da ideia. Promovemos também várias atividades para as crianças, com lanche, pula-pula, brinquedos, tudo feito pela Associação da Guarda em parceria com a Secretaria de Ordem Pública”, contou o secretário de Ordem Pública Gilson Chagas.

Ainda segundo o secretário, aproximadamente 60 homens da Guarda Municipal de Niterói participaram do desfile cívico, incluindo voluntários que estavam de folga, a pé, nos carros de ronda escolar, ciclopatrulhamento, entre outros.

Cerca de 400 alunos, além de servidores, de escolas municipais de Niterói participaram do evento, dando início à segunda parte do Desfile da Independência. Escolas estaduais, particulares e movimentos sociais da cidade estavam entre as 23 instituições que deram sua contribuição à solenidade.

O desfile, além de relembrar e fortalecer o civismo, serviu de oportunidade para reivindicar mais investimentos na Educação em todo o Estado do Rio de Janeiro. Estudantes do Instituto de Educação Professor Ismael Coutinho (Iepic) entoavam músicas pedindo a valorização das escolas e carregavam cartazes com os dizeres “Se deixam um museu pegar fogo, o que acha que farão com a Educação?”.

A pequena Sofia Rodrigues, de 4 anos, observou atenta todas as escolas que passavam pela avenida. Vestida de verde e amarelo, ela balançava bandeirinhas do Brasil, enquanto sua mãe, Priscila Rodrigues, explicava para ela a importância do desfile.

“Está faltando muito amor e tolerância. Vivemos um período muito complicado no Brasil. Por isso, acho importante ensinar esses valores para minha filha desde cedo, para ela aprender a exercer a cidadania. Lembro da minha infância, quando eu desfilava no Rio e todos ficavam muito empolgados com a data”, declarou Priscila.

Entre as autoridades presentes no desfile, estava o comandante do 12º BPM (Niterói), tenente-coronel Márcio Guimarães, o secretário executivo Axel Grael, a secretária de Educação Flávia Monteiro, e o presidente da Fundação Municipal de Educação, Bruno Ribeiro, além de autoridades militares.