Médico diz que viu milagre acontecer em São Gonçalo

São Gonçalo
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Bombeiros usaram desfibrilador e fizeram massagens cardíacas

Reprodução de vídeo



“Um milagre!”. É assim que Rômulo Campos, de 37 anos, capitão médico do 20º Grupamento de Bombeiro Militar (GBM) de São Gonçalo, em Itaúna, define o caso de um homem clinicamente dado como morto, que após 50 minutos sem nenhum sinal vital, foi reanimado na manhã do último domingo. A vítima, de 34 anos, segundo o médico, sofreu uma síncope quando jogava futebol na quadra de uma escola próxima e teve parada cardiorrespiratória, sendo levada às pressas por amigos ao quartel, que fica próximo, e colocado numa ambulância. 

“Fui informado pelos soldados sobre o caso e desci imediatamente para ver do que se tratava. Ao entrar na viatura, após alguns exames, constatei que o paciente estava morto. Era claro, sem dúvidas. Porém, a disposição da equipe me comoveu e permiti a continuação da massagem. Fiz os procedimentos normais desse tipo de processo: entubei, coloquei no soro e injetei uma ampola de adrenalina”, contou.

Ainda conforme o relato do médico, depois de 50 minutos de massagens cardíacas ininterruptas, apareceu no monitor cardíaco uma atividade elétrica surpreendendo a todos na ambulância. 

“Foi algo forte demais pra mim, pois eu vi como o paciente estava e constatei sua morte. E tenho conhecimento o suficiente para isso. Não acreditei no momento, foi um choque. Não tem explicação científica. Aquele homem, literalmente, ressuscitou naquele quartel. Acreditem ou não, ele estava morto e voltou a viver”, disse emocionado nesta quarta-feira (29), o médico, que está na corporação desde 2008.

Por volta do meio-dia, o paciente foi encaminhado ao Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê, em São Gonçalo. De acordo com a direção da unidade, seu estado de saúde é estável.