NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Mais de R$ 60 milhões para obras

O vice-prefeito Axel Grael explicou que o projeto visa evitar as enchentes na região e fazer com que a água da chuva deságue no canal de Camboatá, que liga as lagoas de Piratininga e Itaipu

Marcelo Feitosa

A Região Oceânica ganhará investimentos de R$ 61 milhões da Prefeitura de Niterói para intervenções de macrodrenagens. O bairro de Santo Antônio e a Avenida Professora Romanda Gonçalves, no Engenho do Mato, receberão ações de sistema de escoamento de água das chuvas. O projeto visa evitar as enchentes na região e fazer com que deságuem no canal de Camboatá, que liga as lagoas de Piratininga e Itaipu. A previsão, é que os processos licitatórios sejam concluídos até agosto, para que as obras possam ter início já em setembro deste ano. A expectativa é que as intervenções sejam finalizadas em até dois anos.

O projeto do bairro de Santo Antônio custará R$ 42 milhões e será executado em quatro etapas, onde na primeira serão interligadas as novas intervenções nas antigas, dando funcionalidade ao sistema. Em seguida haverá uma complementação das galerias, que possuem quatro metros de comprimento por dois de largura. Será instalada também uma elevatória – equipamento utilizado para drenagens e escoamento de água – para escoar e drenar a água. A última etapa será a construção de uma galeria de contorno, passando pela Avenida Francisco da Cruz Nunes, passando pela Almirante Alexandrino, e interligando com as novas galerias.

“Tentamos várias alternativas, como túneis, outros caminhos para o escoamento, mas tudo isso é um processo muito caro. Ou seja, nós estamos estudando uma alternativa à utilização da elevatória, porque vai ficar a vida inteira bombeando a água. Mas não tem jeito, água não sobe ladeira”, finaliza. 

No trecho da Avenida Professora Romanda Gonçalves, que terá investimento de R$ 19 milhões, novas galerias retangulares serão instaladas para diminuir as inundações e facilitar os escoamentos de água. Segundo o vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, o projeto seria realizado na Avenida Central, mas para diminuir os transtornos aos moradores, a obra vai acontecer na Avenida Professora Romanda Gonçalves, via paralela à Avenida.

De acordo com o vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, os novos investimentos na Região Oceânica têm o objetivo de fechar um ciclo das ações para diminuir os transtornos dos moradores dos dois bairros em época de chuvas fortes.

“Todos esses processos, juntos, já resolveriam os problemas de inundações que afetam hoje a Região Oceânica. No bairro de Santo Antônio, já existe uma estrutura da gestão anterior, mas que precisa ser corrigida, que hoje está inútil”, disse Axel mostrando, em um mapa, como funcionará o sistema.

O vice-prefeito pontuou ainda problemas nos cruzamentos das drenagens naturais da região.

“Vamos usar as galerias que já existem e complementar, funcionando como um piscinão. Ela vai ter duas válvulas e uma bomba, que vai jogar água para fora dessa grande galeria. Quando chover fraco, o próprio sistema permite a drenagem natural, se chover forte, a ideia é que a bomba seja acionada e retirada a água”, completa. Presidente da Associação de Moradores do Bairro do Engenho do Mato, Roberto Barboza, de 54 anos, explica que os moradores da Região Oceânica estavam carentes de intervenções no local.

“Estou na presidência da associação há 18 anos e nunca vi ações de obras desse porte. Todos estão maravilhados. Eles nunca mais vão pisar na lama”, comemorou Roberto.

Bairro Melhor – Os investimentos se somam aos já realizados na região em parceria com os governos Federal e Estadual, como a drenagem e pavimentação de ruas em Piratininga, Bairro Peixoto, Camboinhas, Maravista e Engenho do Mato. Estão sendo investidos outros R$ 35 milhões e 22 ruas serão beneficiadas.

Scroll To Top