NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Muito menos sujeira nos rios de Niterói

Desde que entrou em vigor em 2013, o Projeto Se Liga, fruto de uma parceria entre a concessionária Águas de Niterói e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) conseguiu fazer com que 738 domicílios dos 842 visitados em diferentes regiões de Niterói se conectassem à rede coletora de esgoto da cidade, evitando assim o lançamento de mais de 288 mil litros por dia de dejetos em rios e lagoas do município. Por ano, o Se Liga evita um despejo de mais de 103 milhões de litros de esgoto, o equivalente à capacidade de 96 piscinas olímpicas.

Segundo o Inea, a adesão de 87% dos imóveis abordados no Projeto, que tem atuação no entorno da Lagoa de Piratininga, na Estrada Fróes, na Praia de Charitas, próximo ao Canal de São Francisco, na Ilha da Conceição e no Centro de Niterói, evita uma degradação irreversível ao meio ambiente. Para isso, funcionários da Águas de Niterói fazem um trabalho de conscientização na região: entregam folhetos explicativos que ressaltam a importância da adesão à rede de saneamento e apontam os caminhos para que o proprietário regularize a residência. Depois o bastão é passado para o Inea. Funcionários do Instituto vão de porta em porta para notificar o morador que ainda não se regularizou. De acordo com o órgão, a notificação tem caráter meramente educativo. Mas caso o proprietário do imóvel não se conecte no prazo de 60 dias (que pode ser prorrogado por mais 30), ele receberá  uma multa no valor de R$ 2.037,00. 

“O projeto garantiu a diminuição da emissão de poluentes nas bacias que integram o complexo lagunar de Piratininga e Itaipu, como: bacia do Rio Arrozal, bacia do Rio João Mendes, bacia do Canal de Santo Antônio, bacia do Rio Jacaré e Jardim Imbuí. Outras fases impactaram diretamente na Baía de Guanabara. Desta forma evitamos um prejuízo que é irreversível para o meio ambiente. Com a diminuição do esgoto lançado na natureza, garantimos também mais saúde para a população”, explica o superintendente regional do Inea, Paulo Cunha, acrescentando que os casos dos proprietários notificados que não se regularizam após a aplicação da multa são encaminhados para o Ministério Público. 
O superintendente da Águas de Niterói, Nelson Gomes, complementa:

“A interligação ao sistema permite que o efluente seja destinado às Estações de Tratamento de Esgoto e seja tratado de forma adequada. O processo é simples e contribui para a qualidade de vida da população”, afirma Nelson.

Ao longo destes três anos de vigência do projeto, apenas 104 domicílios dos 842 visitados ainda não aderiram à rede coletora de esgoto da cidade. Na próxima semana, segundo informações do Inea, Itacoatiara, na Região Oceânica, atingirá 100% de imóveis conectados. No mês de abril, o projeto deve chegar ao bairro de Maria Paula, em Pendotiba. Entretanto não há uma data fechada para o início. 

Scroll To Top