NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Mundial de Bodyboarding transforma Itacoatiara em sala de aula

Alunos da Escola Municipal Maralegre, do Cafubá, receberam aula de bodyboard

Foto: Divulgação / Alexandre Vieira

Com termômetros registrando 18°C em uma segunda-feira (20) nublada, o segundo “day off” da etapa de Itacoatiara do Circuito Mundial de Bodyboarding não foi sinônimo de descanso para os atletas, que aproveitaram o dia sem baterias para receber alunos da Escola Municipal Maralegre, do Cafubá, e dar uma aula exclusiva e divertida sobre a arte de deslizar sobre as ondas. A ação foi promovida pelas secretarias de Esporte e Lazer e de Educação.
 
Sem tomar conhecimento do frio e com as pranchas na mão, as 20 crianças, entre 10 e 12 anos, do 5º ano da Maralegre ouviram atentamente as orientações dos instrutores, mas a vontade de entrar na água falava mais alto. E, depois de aprenderem as técnicas básicas de remada e estabilidade sobre a prancha, as ondas de Itacoatiara viraram um parque de diversões para o grupo.
 
“Acho esse tipo de ação incrivelmente importante. O bodyboarding mudou minha vida e acho que a interação com esse tipo de esporte pode, sim, manter as crianças focadas nisso e não em distrações negativas que as ruas oferecem. Viu como todos estão felizes? Independentemente do frio, acho que houve uma conexão muito forte entre nós”, contou o sul-africano Jared Houston, campeão do circuito mundial na última temporada.
 
O menino Luiz Fernando, de 10 anos, demonstrou intimidade com a prancha na água e disse que não seria a última vez no bodyboard. “Hoje foi especial, gostei muito de surfar com os campeões. Não quero parar por aqui”, afirmou o menino, morador de Piratininga.
 
Para o secretário de Esporte e Lazer, Bruno Souza, a ação serve para demonstrar a capacidade da atividade esportiva em construir valores e influenciar as crianças de modo positivo. Além disso, a ideia é que essa e outras atividades sejam incorporadas no cronograma da competição mundial.
 
“O campeonato precisa evoluir ano a ano, não apenas em termos técnicos, mas estruturais também, além do legado que deixa para a cidade, através de impactos positivos na rede hoteleira, de restaurantes e outros fatores. Mas hoje conseguimos atingir outro patamar, o da educação, trazendo essas crianças para conhecer de perto os campeões mundiais do bodyboarding, que dedicaram um pouco do seu tempo, neste day off, para dar uma pequena aula. É uma brincadeira, mas, no futuro, pode ser o primeiro passo para algo maior. É o esporte mostrando que tem uma função de interação social muito grande”, destacou Bruno.

As atividades do Circuito Mundial de Bodyboarding continuarão interrompidas nesta terça-feira (21) devido às condições de mar baixo. A previsão é de picos de onda a partir de quarta-feira (22), quando a competição tem sequência com novas baterias.

Scroll To Top