NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Odontologia da UFF inaugura clínica

Clínica será a primeira do Rio de Janeiro para pesquisa em seres humanos com apoio de laboratórios de biologia molecular e análise microscópica

Divulgação

A Universidade Federal Fluminense (UFF) inaugurou na nesta quinta-feira (26), o Laboratório Associado de Pesquisa Clínica em Odontologia para atendimento gratuito à população. O Laboratório desenvolverá estudos em humanos abrangendo biologia molecular, histoquímica, imuno-histoquimica, tomografia nas especialidades de Cirurgia, implantodontia, Periodontia e Patologia da Odontologia.
 
O Laboratório integra a Rede de Bioengenharia do Rio de Janeiro e o INCT de Medicina Regenerativa e tem como objetivo conectar a pesquisa básica/tecnológica à pesquisa em humanos, beneficiando os voluntários e contribuindo para o desenvolvimento tecnológico de novos produtos e de novas técnicas em odontologia.
 
O Laboratório funcionará diariamente, no período da manhã e à tarde. O atendimento será feito por docentes e pós-graduandos da Odontologia da UFF e realizado separadamente das consultas normais da Faculdade. O número de participantes vai variar de acordo com o andamento dos projetos. Se o projeto envolver 30 participantes, serão chamados 30 voluntários para o estudo.
 
“Essa é mais uma importante conquista da UFF, apesar do corte de verbas nas universidades públicas. A UFF tem conseguido, a partir de uma gestão organizada e focada nos interesses da sociedade, dar continuidade e manter seus projetos, como a inauguração do Laboratório. Trata-se de um ganho para a população, que será atendida totalmente de graça, para o corpo acadêmico e para a pesquisa no Brasil”, ressaltou o vice-reitor Antonio Claudio da Nóbrega.
 
Para a professora da UFF e responsável pelo Laboratório, Mônica Calasans Maia, o laboratório vai ser essencial para o avanço da odontologia. “Ciência não é custo, ciência é investimento. E é esse investimento que vai possibilitar o atendimento gratuito a pessoas que necessitam e não tem como pagar um tratamento dentário de qualidade”, afirmou Mônica Calasans Maia.  
 
Segundo ela, já estão iniciando a seleção dos voluntários para o primeiro projeto do laboratório, que vai analisar a reconstituição óssea a partir da aplicação de sinvastatina nos alvéolos dentais, uma substância muito usada para a redução do colesterol. O estudo começará em humanos e foi aprovado pela Comissão de Ética da UFF.
 
O perfil dos pacientes vai depender dos critérios de inclusão dos projetos. Por exemplo, uma pesquisa que avalia o anestésico local em pacientes hipertensos irá recrutar voluntários que são portadores de hipertensão arterial. No caso de um estudo de avaliação do ganho ósseo, após a realização de enxerto, irá selecionar voluntários sem dentes.
  
Para a construção do Laboratório, primeiro no Estado do Rio de Janeiro com essa especificidade, foram investidos R$ 250mil, provenientes da FAPERJ, CNPq, FINEP e de projetos em parceria com um consórcio europeu. Com essa verba, além das obras nas instalações, como a construção de dois consultórios odontológicos completos e um tomógrafo, a UFF instalou todo o sistema EXAKT para análise histoquimica, centrífugas para produção de concentrados plaquetários, balança digital, lupa, geladeira, freezer (menos 80 graus) para manutenção de células e saliva congeladas, PCR (técnica para amplificar milhares de vezes uma região específica da molécula de DNA), microscópio de captura com dois observadores, impressora e laptop.
 
Para atuar diretamente na parte laboratorial, a clínica contará com duas professoras no laboratório de histoquimica e imuno-histoquimica, uma professora no laboratório de biologia molecular, uma professora trabalhando na área de microscopia, além de duas técnicas.

Scroll To Top