NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Pacote de obras para a Zona Norte

Segundo a Prefeitura, também está sendo estudada a implantação de novas creches municipais

Divulgação

Os projetos executivos de obras para melhorias na infraestrutura urbana de bairros da Zona Norte de Niterói, que incluem pavimentação, drenagem, implantação de novos sistemas de iluminação, construção de moradias, creches e parques, ficarão prontos em setembro. A informação é do prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, que recebeu nesta última semana a visita da representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Daniela Carrero. O banco financiará os projetos através do Programa de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social de Niterói. Nesta primeira etapa, serão investidos R$ 65 milhões nos bairros de Viçoso Jardim, Caramujo e parte do Fonseca. 
Segundo o prefeito, em outubro e novembro acontecerão as contratações e licitações para as obras. Os trabalhos estão previstos para começar em dezembro e terminar 18 meses depois. Apenas na contenção de encostas, 13 locais serão contemplados. O objetivo, de acordo com Rodrigo Neves, é beneficiar 40 mil famílias, sobretudo as afetadas com a tragédia das chuvas em 2010.
“Este programa é mais uma iniciativa de requalificação do espaços urbanos de Niterói. Mais um passo rumo à superação do histórico de abandono e omissão do poder público com a nossa cidade nos últimos 20 anos. Nesses últimos meses, temos seguido um ritmo intenso de investimentos volumosos, adotando uma visão holística e integrada da cidade. É preciso destacar que é a primeira vez que Niterói recebe apoio do programa de cooperação do BID, o que mostra a  credibilidade desta gestão”, ressaltou o prefeito.
As reformas fazem parte das quatro vertentes do Programa de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social de Niterói, que teve início no ano passado e deve injetar no município investimentos na ordem de R$ 100 milhões. As outras três áreas são mobilidade urbana, requalificação de áreas do Centro e fortalecimento institucional da prefeitura.

Prefeito Rodrigo Neves destaca a credibilidade da cidade em receber apoio do BID pela primeira vez

Evelen Gouvêa

Segundo Rodrigo, na área da mobilidade urbana, R$ 20 milhões serão destinados à implantação de um centro de controle operacional da Niterói Transporte e Trânsito (NitTrans) para melhorar o sistema semafórico da cidade, o controle e a gestão do trânsito. Este centro será integrado ao Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) para haver um monitoramento de todos os cruzamentos de ruas em Niterói.

Em relação requalificação de áreas do Centro, o prefeito explicou que está prevista a revitalização do Parque das Águas, com investimento de R$ 6,7 milhões. Neste montante, está incluída a construção de um elevador para garantir a acessibilidade de crianças, idosos e pessoas com deficiência à parte alta do empreendimento. 

Mapeamento – O Programa de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social de Niterói também prevê a elaboração de um cadastro multifinalitário que conterá registros aerofotográficos e informações sobre o relevo, estrutura arquitetônica e urbana da cidade. O prefeito esclarece que, com o mapeamento, qualquer cidadão terá acesso a um levantamento pormenorizado da geografia e composição geológica de Niterói. “Esta ferramenta facilitará a visão de técnicos responsáveis pelas reformas na cidade”, informou. 

Rodrigo Neves ressaltou também a credibilidade que a cidade tem conquistado perante o BID. Ele revelou que em sua última conversa com a representante da instituição no Brasil, Daniela Carrero, o banco assinalou o interesse de manter a parceria para investimentos futuros, como a construção de um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Charitas, na saída do túnel da TransOceânica, para acessar o Centro.

“Daniela expressou confiança na equipe da Prefeitura e na condução deste grandioso programa, abrindo, inclusive, possibilidades para novos projetos em cooperação com o BID. Apresentei estudos preliminares da instalação do VLT em Charitas e já tivemos uma boa receptividade”, adianta o prefeito, acrescentando:

“É importante destacar também que nesse momento de crise, somos uma das poucas cidades do Estado que está tendo a possibilidade de investir. E isso acontece porque conseguimos conter despesas e definir prioridades, gerindo com cuidado os recursos”, afirmou o prefeito.
Em nota, o BID informou que espera que em 2016 o programa tenha repercutido positivamente na vida dos moradores da cidade, sobretudo, com o resultado das obras que serão executadas. 

“A execução do Programa encontra-se em acordo com o planejamento elaborado. A Prefeitura contratou todas as consultorias para desenvolver projetos de urbanização e demais estudos, cujos trabalhos encontram-se em execução ou concluídos”, informou o comunicado. 

Scroll To Top