NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Quatro vertentes

O país atualmente conta quatro pontos; um joia, outro capenga e os demais nem é bom falar. São eles as Forças  Armadas e o Supremo, já que o Executivo e o Legislativo andam com o conceito sofrível.

O por quê?

A explicativa é ultrafácil.

Independente de posições ideológicas, as Forças Armadas estão com tudo e não estão prosas, por estarem sempre em alto prestígio na sociedade. As maiores provas são os constantes chamamentos para atuar em diversos setores da nação nesse Brasil afora, quando a situação fica fora do esquadro.

Tornou-se comum seu envolvimento, principalmente do Exército, a começar na greve dos caminhoneiros, quanto praticamente o governo perdeu o controle da situação e de seus reflexos para a população.

O papel das Forças Armadas tem se mostrado essencial no momento de qualquer sufoco. As olimpíadas e a intervenção no estado do Rio de Janeiro servem  como exemplos do valor e da importância, sem falar em casos ocorridos em presídios,

É só observar o que sai nas redes sociais.
 
As Forças Armadas continuam vendendo esperança e simpatia no meio do povo. Basta aparecer no meio de qualquer conflito que a coisa serena por inspirar confiança.
 
 
Já com o Supremo, a cotação está bem amarga, com o prende, solta, prende de novo para no fim deixar o preso solto.
 
Enquanto as Forças Armadas estão lá em cima em aprovação, o STF continua na berlinda perante a sociedade. É quase uma unamidade, o que é péssimo, Acaba o justo pagando pelo pecador, porque as decisões questionáveis absorvem as demais.
 
Quanto ao Executivo e Legislativo, as coisas estão de mal a pior, por culpa exclusiva de seus próprios integrantes. Somente pensam neles,  com raras exceções. É lastimável, sob qualquer ângulo em que se observe o turbilhão responsável pela queda de conceito junto à população.
 
Existe uma necessidade urgente  de que eles sigam os exemplos do Exército, Marinha e Aeronáutica para que o prestígio volte ao patamar desejado. O Supremo tem de resolver o prende e solta para granjear a confiança da sociedade. É muito importante para sua credibilidade.
 
O mesmo acontece com o Executivo e o Legislativo: pensem menos em seus bolsos e mais na população. Hoje, estão a perigo em credibilidade, ou melhor, quase sem nenhuma.
 
A esperança nunca morre. Aliás, já se disse que é a primeira que nasce quando tudo parece perdido.

Scroll To Top