NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Reflexão sobre a cultura afro

Há dois anos, o Cais do Valongo, no Centro do Rio de Janeiro, se tornou Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco e hoje já recebe centenas de turistas

Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

Por Lucas Schuenck

Há dois anos, o Cais do Valongo, no Centro do Rio, principal porto de entrada de escravos africanos no Brasil, se tornou Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco. De olho nisto, a Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e do Instituto de História e da Cultura Afro-brasileira (Ihcab), com o apoio de instituições do movimento negro e de religiões de matriz africana realiza, neste sábado, a 8ª Lavagem do Cais do Valongo, das 10h às 18h, para celebrar a data. O evento acontece em parceria com o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro (Comdedine) e o Conselho Estadual dos Direitos do Negro (Cedine).

“A Lavagem do Cais do Valongo é uma celebração à ancestralidade dos afro-brasileiros, realizada por entidades da cultura e de matrizes africanas. É um ato de respeito aos milhões de seres humanos, trazidos à força da África, para serem violentados em solo estranho.

É um momento de reflexão quanto às contribuições dos nossos ancestrais à cultura do Brasil, um momento um momento de luta pela reparação por tanto suor e lágrimas vertidas pelos negros escravizados”, afirma o presidente do Instituto da História e da Cultura Afro-brasileira, Pedro Paulo Nogueira.

A Lavagem do Cais do Valongo, que acontece desde 2012, é organizada pela ialorixá Edelzuita, presidente do Instituto Nacional e Órgão Supremo Sacerdotal da Tradição e Cultura Afro-Brasileira, e simboliza a purificação nas primeiras religiões do mundo. Além da tradicional lavagem com água de cheiro e louvor aos orixás e ancestrais, haverá apresentação de grupos culturais afro e, a partir das 13h, a roda de samba Mardyelas. Mais de 40 barracas da Feira de Empreendedorismo Afro vão oferecer artesanato e gastronomia. 

No calendário - A comemoração anual da instituição do Cais do Valongo como patrimônio mundial, por meio da lavagem, é garantido por um decreto do prefeito do Rio Marcelo Crivella, no ano passado. Além disso, em 2014, a cerimônia de lavagem, que acontece desde 2011, foi incluída no Calendário Oficial da Cidade.

Infraestrutura - O Cais do Valongo, no entanto, ainda precisa de melhorias para ter o destaque que merece. Neste sentido, a Prefeitura do Rio, o Governo Federal, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Unesco firmaram um compromisso, por meio de uma Carta Compromisso  assinada por todas as partes interessadas, para realizar as melhorias de infraestrutura necessárias no local.

As obras, que devem levar mais dois anos, estão na primeira etapa, que contempla a estabilização do solo e drenagem das águas da chuva. O projeto também conta com restauração do pavimento original de pedras e reforço estrutural.


Scroll To Top