NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Reflorestamento com ressocialização

Niterói terá sete novas áreas reflorestadas. E mais: o trabalho contará com a participação de jovens em situação de vulnerabilidade social. Nesta terça-feira (26), a Prefeitura publicou o edital para a contratação de empresa especializada em reflorestamento para a elaboração do projeto técnico executivo de recuperação de áreas degradadas com implantação de espécies nativas de Mata Atlântica. Vital Brazil, Cavalão, Viradouro, Arroz, Holofote, Caramujo e Preventório serão as comunidades contempladas.O secretário Executivo da Prefeitura, Axel Grael, explica que a iniciativa é parte do programa Niterói Jovem EcoSocial, que irá formar cerca de 400 jovens de comunidades, com idades entre 16 e 24 anos, promovendo sustentabilidade e dando oportunidade para pessoas em situação de vulnerabilidade social. A previsão é de que o projeto tenha início neste primeiro semestre.

“Niterói já é uma referência internacional em termos de florestas urbanas e, com este projeto, vamos ampliar ainda mais as áreas recuperadas agregando uma novidade, que é a necessidade de recuperação de áreas verdes para também promover a inclusão social. Estamos integrando o reflorestamento com uma oportunidade de inclusão social e de integração à sociedade de jovens que poderão estar em situação de risco”, enfatiza Grael.

O projeto de reflorestamento deverá reunir informações, diagnósticos, levantamentos e estudos que possam subsidiar as medidas adequadas à recuperação das áreas, além do planejamento das ações de manutenção do plantio.

“Estamos contratando o projeto nessas sete regiões, desenvolvendo mais uma forma de integrar a comunidade com as áreas de preservação da cidade. Eles terão que estabelecer toda a indicação de espécies, espaçamento, identificar quais são as áreas propícias para o reflorestamento, mapeando e identificando qual a vocação de cada uma das áreas, qual a técnica de plantio, entre outras ações. Teremos mais uma experiência realizada em Niterói que vai repercutir bastante, estimulando outras cidades a seguirem este caminho”, diz o secretário.  

De olho no futuro – A Prefeitura de Niterói dará início, em maio, ao programa Niterói Jovem EcoSocial, que irá formar aproximadamente 400 jovens de comunidades, com idades entre 16 e 24 anos, promovendo sustentabilidade e dando oportunidade para pessoas em situação de vulnerabilidade social. O projeto é coordenado pelo Escritório de Gestão de Projetos de Niterói (EGP/NIT) e integra o pacto Niterói Contra a Violência. Os jovens passarão por um curso de capacitação para, posteriormente, trabalhar em quatro diferentes frentes: reflorestamento; manutenção de recursos pluviais para evitar enchentes; ações preventivas a queimadas; e atividades visando à manutenção e à sinalização de trilhas da cidade, com remuneração e auxílio transporte.

Áreas protegidas - Niterói conta com o Decreto Municipal 11744/2014, que instituiu o Parnit e preservando cerca de 50% do território do município de áreas protegidas. Nos próximos anos, Niterói vai ganhar ainda mais mudas. O município é a primeira e única cidade brasileira, até o momento, a conseguir recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), no valor de R$ 3 milhões, para projetos de restauração ecológica de 203 hectares da Mata Atlântica. 

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) estima que, em média, existem 123,2 metros quadrados de áreas verdes para cada niteroiense. De acordo com a agência especializada da ONU, trata-se provavelmente da maior proporção de zonas protegidas per capita em todas as regiões metropolitanas do Brasil.

Scroll To Top