NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Reparo na Avenida do Contorno segue sem previsão de término

Motoristas precisaram de paciência para superar o engarrafamento na Contorno

Marcelo Feitosa

Prestes a completar uma semana do incêndio que comprometeu a estrutura de um viaduto na Rua Monsenhor Raeder, que passa pela Avenida do Contorno, em Niterói, motoristas seguem enfrentando trânsito lento na via. De acordo com a Arteris Fluminense, concessionária que administra o trecho da Avenida do Contorno, ainda não há previsão para o restabelecimento total do tráfego da estrada.

Segundo a Arteris Fluminense, o congestionamento registrado na manhã desta segunda-feira (14) foi o mesmo registrado no início da última semana quando não havia restrição de faixas na Avenida do Contorno. A concessionária pede que os usuários programem seu deslocamento pela Avenida do Contorno ou que utilizem rotas alternativas por dentro de São Gonçalo e Niterói para acessar a ponte Presidente Costa e Silva e a Avenida Feliciano Sodré.

No final da última semana, foi montada uma faixa reversível para minimizar os efeitos do trânsito. Automóveis e veículos de carga podem percorrer o desvio de 1,5 Km na pista contrária (em mão dupla) para acessar Niterói e a Ponte Rio-Niterói. 

Investigações - Nos últimos dias, foram realizadas vistorias no local e coleta de materiais do viaduto para ensaios laboratoriais pela equipe técnica da Arteris Fluminense. A partir destes resultados, a concessionária irá elaborar um plano de recuperação do viaduto sobre a Rua Monsenhor Reader e informará os serviços e o período necessário para reparar o viaduto.

“Decidimos por uma medida mais conservadora e prudente para garantir a segurança e integridade dos nossos usuários. Todos os recursos foram mobilizados para agirmos de maneira célere e segura. Estamos trabalhando para diagnosticar os problemas e definir as melhores soluções e engenharia e a programação do trabalho de recuperação dessa estrutura”, afirma o diretor-superintendente da Arteris Fluminense, Odílio Ferreira.

Na última quinta-feira, a Arteris Fluminense foi notificada para apresentação de relatório detalhado sobre o incidente e, se detectada falha da concessionária diante de suas obrigações, serão tomadas as penalidades contratuais cabíveis.

Foi solicitado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) à Arteris a apresentação do plano de recuperação do viaduto e liberação total ao tráfego, cabendo ressaltar que as medidas de interdição parcial ao tráfego ora em curso visam garantir as condições de segurança ao usuário da rodovia.

De acordo com a ANTT, desde o início da concessão foram realizados diversos autos de infração pela Concessionária Autopista Fluminense, por motivos diferenciados, relacionados ou não à conservação da rodovia.


Scroll To Top