Sim para a segurança

Cidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Niterói disse não às armas de fogo em poder da Guarda Municipal no plebiscito realizado no último domingo. A decisão coube a 18.991 que participaram da consulta popular não obrigatória: 13.478 eleitores (70,97%) votaram pela não autorização, enquanto 5.480 (28,85%) optaram pelo sim. De qualquer forma, o esforço da prefeitura para aprimorar a segurança da cidade foi feito e prossegue. 

Ontem, um dia após o plebiscito, foi assinado convênio com o Governo do Estado visando a implantação na cidade do programa Niterói Mais Segura, experiência realizada com êxito no Rio. O acordo prevê mais 300 homens para policiamento na cidade. 

O esquema deve entrar em funcionamento dentro de 45 dias, na segunda quinzena de dezembro, para patrulhamento nos bairros do Centro, Icaraí, Ingá e Fonseca, em dois turnos. A ideia é reforçar a segurança nesses bairros e liberar os policiais militares para atuação em áreas de conflito. 

A equipe do Niterói Mais Segura que atuará nas ruas será composta por grupos de três homens, sendo dois policiais militares e um reservista do Exército, que filmará as ações de abordagem. Os registros servem como prova em questionamentos e por isso reduzem o número de conflitos entre cidadãos e agentes. 

São esforços e experiências que visam melhorar a sensação de segurança na cidade, hoje uma prioridade para os moradores. 

Niterói quer e precisa de mais segurança.