Treinamento para profissionais de saúde

Cidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Cerca de 600 profissionais das redes municipal e estadual de saúde do Rio de Janeiro receberão um treinamento para diagnosticar, tratar e acompanhar pacientes com hipertensão arterial. O treinamento será oferecido pela Sociedade de Cardiologia do Rio de Janeiro (Socerj), durante o 35º congresso da entidade, que será realizado de amanhã a sexta-feira.

Além de oferecer o treinamento, a Socerj preparou um manual que ficará disponível no site da Sociedade, com informações sobre a doença para profissionais de saúde. 
“O profissional de saúde, muitas vezes, tem dificuldade de acesso às informações mais novas, aos últimos ensaios clínicos, às últimas formas de diagnóstico e de tratamento”, disse o presidente do Departamento de Hipertensão da Socerj, Armando da Rocha Nogueira.

Liderança – De acordo com a Socerj, o Rio de Janeiro é o estado com maior prevalência da doença, com 31,7 casos para cada 100 mil habitantes. A hipertensão é fator de risco para várias doenças cardiovasculares que, no Brasil, são responsáveis por 30% das mortes.

Um dos principais problemas, segundo Nogueira, é a pouca adesão dos pacientes ao tratamento oferecido. Ele explica que, no país, apenas 20% dos pacientes mantêm a doença sob controle. 

“Na realidade, há um esforço muito grande para treinar os médicos e tentar divulgar o máximo isso para a população, porque precisamos reverter isso aí. As pessoas precisam saber se têm hipertensão arterial e, caso tenham, ser tratadas corretamente, com acompanhamento e com facilidade para que esse tratamento seja mantido”, disse.

Diagnóstico – O diagnostico da hipertensão arterial é feito quando a pressão arterial é maior ou igual a 140 mmHg (sistólica) por 90 mmHg (diastólicas), aferidas em pelo menos duas consultas médicas distintas.