NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Vacinação agora é para todos

A partir desta segunda-feira (17), toda a população do Estado do Rio de Janeiro poderá se vacinar contra a gripe. Isso porque, com o fim da campanha para o público prioritário, que começou no dia 10 de abril e terminou no último sábado, as doses restantes ficarão disponíveis para todos. A campanha nacional de vacinação contra a gripe tinha sido prorrogada pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio, nos 92 municípios fluminenses, pois o estado não tinha atingido a meta estabelecida de vacinar 90% da população prioritária.

De acordo com a Superintendência de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde, neste ano foram notificados 138 casos de influenza, com 33 óbitos. O boletim divulgado na última sexta-feira (14) afirmou que o estado atingiu uma cobertura vacinal de 80%, o que representa cerca de 4 milhões de pessoas vacinadas. De acordo com a Prefeitura do Rio, 41 municípios atingiram a meta de vacinar 90% do público-alvo durante a campanha. 

A Prefeitura de Itaboraí informou que o município ultrapassou a meta e vacinou 92,69% do público-alvo. Até a última sexta-feira, 50.615 doses tinham sido aplicadas. De acordo com a divisão de imunobiológicos de Itaboraí, nenhum óbito foi registrado na cidade.

Segundo informado pela Fundação Municipal de Saúde de Niterói, a cidade atingiu a meta de vacinação estabelecidad pelo Ministério da Saúde na última sexta. Foram mais de 154 mil pessoas vacinadas, chegando a 90% do público alvo. No sábado, último dia da campanha, a vacinação dos grupos prioritários foi realizada nas 54 salas de vacina do município, de 8h às 13h. 

A secretária municipal de Saúde, Maria Célia Vasconcellos, esteve visitando as unidades que estavam vacinando neste sábado e comemorou o resultado.

“Podemos considerar uma vitória esses índices conquistados. Parabéns aos profissionais de saúde que se empenharam muito nessa campanha, inclusive hoje, e também a população que respondeu aos chamados e compreendeu a importância da imunização”, disse a secretária.

A imunização segue disponível nas Policlínicas Regionais, Unidades Básicas de Saúde e módulos do Programa Médico de Família, até a sexta-feira, das 8h às 17h.
Em São Gonçalo, foram aplicadas 181 mil doses da vacina, com uma cobertura de 68% do público-alvo, que tem o total de 252 mil pessoas.  

A doença –  A gripe H1N1, ou influenza A, consiste em uma doença causada por uma mutação do vírus da gripe. Os sintomas da H1N1 são semelhantes aos da gripe comum, como febre alta (acima de 38ºC, 39ºC, de início repentino), dor muscular, de cabeça, de garganta e nas articulações, irritação nos olhos, tosse, coriza, cansaço, vômitos e diarreia. O vírus é transmitido de pessoa para pessoa especialmente através de tosse ou espirro.

Para a confirmação do diagnóstico de H1N1, é necessário realizar teste laboratorial específico. E o tratamento é feito com uso de medicamento fosfato de Oseltamivir (Tamiflu) nas primeiras 48 horas após o aparecimento dos sintomas. 

Os médicos alertam que é preciso ter atenção ao contrair a gripe H1N1 pois ela pode levar a complicações de saúde muito graves, podendo ser fatal.

A vacina trivalente da gripe produzida para 2019 tem em sua composição os vírus inativados do H1N1, H3N2 e o vírus do tipo B da linhagem B/Victoria/2/87. Conforme informado pela Superintendência de Vigilância em Saúde é mito a informação de que a vacina causa gripe em quem a recebe. Isso porque o vírus da dose é inativo, ou seja, está morto, o que evita o contágio por gripe, diferente de como é erroneamente falado.

Scroll To Top