NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Viva a Liberdade de Imprensa

Caros leitores e leitoras deste querido O Flu. Fiquei muito feliz com a repercussão do meu artigo de estreia, na sexta-feira passada, aqui neste espaço, e nesta sexta-feira (7), no Dia Nacional da Liberdade de Imprensa, não poderia deixar de ressaltar a importância dos veículos de comunicação para o desenvolvimento do nosso país.

É inimaginável conceber um país livre, mais justo e democrático sem liberdade de imprensa. Qualquer coisa diferente disso tem nome que combina com ditadura: censura. E a ela manifestamos o nosso mais profundo repúdio.

É importante lembrarmos que os meios de comunicação têm o direito e o dever de manter os cidadãos sempre bem informados. Ser livre, no entanto, não significa ter o liberdade de desrespeitar o direito de outrem. Da mesma maneira que cobramos, de forma intransigente, a Liberdade de Imprensa, exigimos, também, uma conduta ética, uma marca de O Fluminense, veículo que não à toa atravessa três séculos sem macular sua credibilidade.

Em tempos de redes sociais em profusão e disseminação indiscriminadas das chamadas Fake News, sobretudo em grupos de Whatsapp, uma imprensa forte, combativa e diligente se faz cada vez mais necessária para que o país não retorne aos sombrios tempos de obscurantismo, com liberdades cerceadas e direitos negados à maioria.

Lutar pela liberdade de imprensa não é uma bandeira de jornalistas, mas de todo cidadão e cidadã que tem esperança em um futuro melhor para todos, não só para alguns.

Scroll To Top