NITERÓI/RJ
Min:   Max:

35ª edição do Circuito ASN começa neste sábado em Itacoatiara

Multicampeão nas categorias inferiores, Luca Nolasco, de 16 anos, vai debutar na júnior em Itacoatiara.

André Redlich

Entre hoje e amanhã, a partir das 9h, surfistas de várias regiões do Estado disputarão os títulos das seis categorias da primeira etapa do Circuito ASN 2015, na Praia de Itacoatiara. Iniciado em 1980, o torneio chega esse ano à sua 35ª edição e a expectativa é de que o evento não seja especial apenas pela data marcante. O evento tem o apoio da Secretaria de Esporte e Lazer de Niterói.

“O Circuito ASN tem uma tradição. Ele é realizado, sem interrupção, desde 1980, e fomenta o esporte, promove um estilo de vida saudável, que o esporte traz. Daqui, surgiram atletas que disputaram circuito estadual, nacional e até mesmo mundial, como Guilherme Herdy, Ricardo Tatuí e o Bruno Santos”, disse o diretor social da ASN, João José Macedo, de 42 anos, conhecido como Zezão.  

Além de subirem ao lugar mais alto dos respectivos pódios, os competidores terão alguns incentivos a mais quando entrarem na água.  

“A ASN oferece uma das maiores premiações amadoras, em nível de Brasil. São dez dias de hospedagem na Ilhas Mentawai para o campeão do ranking da Open. Nessa mesma categoria, o vencedor de uma etapa já ganha um final de semana numa pousada em Itamambuca. Estamos oferecendo também três passagens para o Peru”, explicou João José.

Citado por Zezão, Guilherme Herdy é um dos principais nomes do esporte na região. Ele é figura garantida no evento e carrega o Circuito no coração e na memória.

“Tenho várias lembranças. Desde que sou moleque, faço as competições em Niterói. Sempre tivemos bons atletas aqui, e isso me ajudou bastante. É muito interessante trabalhar a geração, sempre tem um ou outro competindo fora”, relembrou Herdy, que, após faturar um bicampeonato na open (2012 e 2013), ficou com o vice no ano passado.

Guilherme tentará o caneco também na master, além da categoria que o consagrou, e pode servir de inspiração para duas promessas: Luca Nolasco e Igor Queiroz. O primeiro tem 16 anos. Dono de seis taças em categorias inferiores, ele passou para a júnior recentemente. Agora, espera que o sucesso o siga na nova empreitada.

“Já peguei muita onda boa aqui e quero continuar assim. Lembro de um campeonato muito maneiro no Costão, no ano passado. Foi uma bateria que eu virei na última onda e ganhei o campeonato”, contou.

Um pouco mais novo, Igor, 14, é outro que mira o alvo máximo. Nos dias que antecedem a disputa, o competidor busca controlar o nervosismo.

“Eu comecei a surfar um pouco mais tarde do que os garotos que evoluem bastante. Mesmo assim, pretendo ser um bom surfista e levar o campeonato esse ano”.

Scroll To Top