NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Alfabeto de cremes

Experiente no quesito maquiagem, a blogueira Juliana Motta já elegeu o seu preferido: CC Cream

Divulgação

Após ganhar as prateleiras das lojas de maquiagem e perfumarias de vários países, o Blemish Balm Cream, conhecido como BB Cream, chegou ao Brasil e se tornou o novo queridinho das mulheres. O produto é um mix de hidratante, filtro solar, além de ter  uma leve cor, funcionando como um primer e uniformizando o tom da pele.

O cosmético foi criado por dermatologistas alemães há 50 anos. O objetivo do produto era auxiliar na recuperação da pele após os tratamentos a laser. Pela sua praticidade, resultados imediatos e o toque de cor e tratamento da pele, o cosmético virou sensação na Coreia do Sul e no Japão, e se difundiu pelo mundo, em especial no Ocidente.

No entanto, o BB Cream evoluiu para o CC Cream (Color Correction Cream), que além de reunir os benefícios do BB Cream, também reúne em sua fórmula antioxidantes, anti-idade e clareadores de manchas, além de uma base com maior capacidade de cobertura das imperfeições da pele. É mais indicado para peles mais maduras ou com manchas, sendo a escolha mais adequada para quem passou por recentes tratamentos de beleza, como botox e lifiting, por exemplo. 

Acompanhando o crescimento do “alfabeto dos creams”, surge o DD Cream (Daily Defense Cream), que tem uma textura mais pesada. “Levando em consideração nosso clima, e que a pele da maioria das brasileiras é mais mista e oleosa, o efeito é mais pesado sim. Vale testar e saber se vai se adaptar. O DD Cream, como a maioria das marcas promete, é indicado para o corpo e o rosto por possuir em sua formulação hidratantes e autobronzeadores, além de ação antienvelhecimento”, ressalta a maquiadora Christina Gall. 

A dermatologista Fernanda Campany explica que o BB, CC e DD Cream podem ser usados diariamente, dependendo do tipo de pele e do nível de exposição solar. Entretanto, alguns deles ainda ficam oleosos na pele das brasileiras, levando a quadros de acne cosmética. Para pacientes que apresentam grande exposição solar, o uso do filtro tradicional com proteção UVA e UVB é mais indicado. 

“A linhas de BB ou CC Creams são ideais para serem usadas por mulheres que precisam de praticidade pela manhã, pelo fato de aliarem um leve tratamento à uma uniformização do tom e imperfeições leves da pele, porém, não substituem os produtos dermatológicos para os tratamentos específicos de manchas ou imperfeições mais visíveis como linhas e rugas. E não devem ser usados por cima de outros produtos para tratamento dermatológico por conta da interação dos princípios ativos, podendo levar à irritações ou inativação de algumas substância”, alerta a dermatologista.

Para a pele jovem, sem manchas, sem cicatrizes, sem poros dilatados, Christina Gall recomenda o BB Cream. Já para pele oleosa, com poros dilatados e sinais, a melhor opção, segundo ela, é o CC Cream. “Se sua pele for porosa, oleosa, com linhas finas, o CC cream é uma ótima opção, já que oferece cobertura leve e natural. Já o DD Cream tem uma cobertura mais pesadinha para o rosto, indicando apenas para as aquelas que têm pele seca e que precisam de cobertura extra”, ensina. 

Experiente no quesito maquiagem, a blogueira Juliana Motta, do Agora Sou Linda, já testou as três opções e diz que o seu predileto é o CC Cream. E justifica a preferência: “Primeiro, pela sua ação antioxidante e hidratante. Segundo, a alta cobertura que ele proporciona é diferente de qualquer BB e DD que eu já tenha testado. E por último, pela proteção contra os raios UVA e UVB. Nada é mais necessário em beleza do que proteger e cuidar bem da pele”, diz a blogueira, que usa o cosmético tanto para o dia a dia quanto para a noite, em produções mais elaboradas. 

Juliana garante que apesar de todos os benefícios proporcionados pelos cremes, ela não dispensa o filtro solar. “Primeiro aplico o filtro solar, depois o BB/CC/DD Cream e ao longo do dia, retoco se for necessário”, diz. 


Scroll To Top