NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Modalidades para todos os gostos

Quarto do ranking do tênis em cadeira de rodas na categoria Júnior, o adolescente Caio já representou o Brasil em um Parapan-Americano na Argentina

Foto: André Redlich

Um “chega pra lá” na preguiça, seguido por cartão vermelho ao sedentarismo. O projeto Amigos do Esporte vem possibilitando com que pessoas comuns de diversas idades tenham uma rotina semelhante a dos atletas. De noite ou de dia, crianças, adultos e idosos povoam o município de Niterói com atividades gratuitas instruídas por professores especializados em cada assunto. É dessa forma que, seja na quadra ou na praia, Caio Gonçalves, Ismailde Ferreira, Thiago Villar e Leonardo Eyer mantêm o corpo e a mente em sintonia com o bom humor. Eles representam variados grupos de moradores que saem de casa buscando a interação.

Foto: Evelen Gouvêa


O circuito vem ajudando Thiago Villar a melhorar sua performance no surfe

Caio tem 15 anos e é o mais novo do quarteto. Desde 2011, ele pratica o tênis em cadeira de rodas em dose dupla: na Concha Acústica, pelo próprio Amigos do Esporte, e no Itaquá Soccer, em Itaipu.

“Inicialmente, eu ia para a natação, mas aí conheci o professor Sergio Alves, que me apresentou ao esporte. Gostei e estou até hoje. Em 2011, que foi minha primeira competição, ganhei o troféu de atleta revelação. Eu gostava bastante da natação, mas acabei me apaixonando pelo tênis. E não dá para fazer os dois esportes por causa dos torneios. Inclusive, no mês que vem, eu vou para dois torneios: um em Goiânia (Goiânia Open) e o outro em Belo Horizonte (Copa Butija)”, diz Caio, que já participou de um Parapan-Americano na Argentina, em outubro de 2013 e, atualmente, é o número quatro no ranking da categoria Júnior (até 18 anos).

No contraponto de Caio, Ismailde é o incentivo dos mais experientes. Há 30 anos, o militar aposentado de Belo Horizonte se dedica ao vôlei de praia. Hoje com 54, o agora morador de Niterói é referência nas aulas em Icaraí.

“Eu sou sempre um incentivador aqui. Procuro dar esse exemplo para todos. Não meço esforços para estar aqui, fazendo o esporte e ajudando colegas e professores. Sempre fui uma pessoa muito ativa, corria, participava de maratona. O vôlei é meu esporte de coração”, afirma.

Já Thiago, 32, procurou um apoio na sua preparação para as competições de surfe, esporte o qual pratica desde os 14 anos de idade. Ele é instrutor de stand up e do esporte que está atrelado à sua vida. Em São Francisco, o surfista pratica a atividade que teve início há duas semanas no projeto: o circuito.

“Eu surfo há 18 anos. Acho que, no circuito, você acaba ganhando força, resistência e condicionamento físico. Minha escolha foi mais para ajudar no surfe. Quero melhorar meus resultados. Eu fiquei em terceiro lugar nos dois últimos anos do Circuito ASN (Associação de Surfe de Niterói) na categoria open. Com certeza, vou evoluir mais, acredito que vai melhorar. É necessário esse incentivo do projeto. Tem muita gente que sempre quis fazer algum esporte, mas nunca teve condição. Então, une o útil ao agradável”, considera.
Dentre todos os resultados, o maior deles, porém, talvez possa ser visto na vida de Leonardo. Músico e fotógrafo, o jovem de 22 anos pratica badminton no Pró-Cubango. Em seis meses de suor, ele conseguiu deixar para trás alguns de seus incômodos 146kg.  

“É um esporte que todos podem praticar, quase universal, fácil de jogar. Mudou a minha vida, eu perdi quase 22kg jogando badminton em seis meses. O badminton é como a música para mim, é uma cosia que me relaxa. Meu trabalho acaba sendo o badminton”, revela o baterista, que administra a página Niterói Badminton Clube e um canal com o mesmo nome em duas redes sociais.

O Amigos do Esporte, que também oferece aulas de futsal, vôlei de quadra, basquete e handebol, é uma realização da Secretaria de Esporte e Lazer de Niterói. 

Scroll To Top