Choque de intolerância

Entretenimento
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Peça “Nem que eu morra por isso” foi inspirada no longa “O livro de Eli”

Foto: Divulgação/Julio Ricardo da Silva

O espetáculo distópico “Nem que eu morra por isso” está em cartaz de sexta-feira (28)  à domingo (30), às 19h, no Sesc Tijuca.

Quatro personagens completamente diferentes se encontram em um mundo devastado. Essa reunião causa um choque de intolerância dos papeis sociais que cada um representa naquela cidade. Com diálogos existencialistas, a peça mostra personagens que são renegados, revelando uma sociedade cada vez mais excludente e solitária. Para criar esse universo o espetáculo se inspirou em longas como “Mad Max” e “O livro de Eli”.  

Inspirada no Teatro do Absurdo, termo originado pelo crítico húngaro Martin Esslin para designar as peças  que trazem os aspectos inesperados da vida humana, a encenação rompe com padrões de teatro e leva para o palco uma dramaturgia contemporânea.  “Não há mais o que esperar. O vazio precisava ser preenchido. Por acreditarmos na sobrevivência da espécie humana nos pareceu mais legítimo flertar com a violência contemporânea que nos faz reagir, ao invés de contemplar a passividade da espera”, conta o autor do texto Rômulo Pacheco.  A direção da peça fica por conta de Lilian Meirelles. 

O Sesc Tijuca fica na Rua Barão de Mesquita, 539, Tijuca, no Rio. Sexta, sábado e domingo, às 19h. Preço: R$ 8 (inteira). Em cartaz até 30 de outubro. Censura: 14 anos. Telefone:  32328-2139.