NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Claudio Lins canta no Teatro da UFF

Claudio Lins apresenta no Teatro da UFF duas canções inéditas: “Sozinha é Bom” e “Samba Pro Futuro”

Foto: Divulgação/Flávio Saturnino

Por Mariana Falcão 

Em tom intimista, Claudio Lins apresenta seu novo show “Estórias pra quem (ainda) olha pro céu” para o público niteroiense no dia 13 de julho, às 20 horas, no Teatro da UFF. O repertório conta com músicas compostas pelo artista para trilhas de peças musicais, novelas e cinema, além de canções inéditas, como “Sozinha é Bom” e “Samba Pro Futuro”.

Segundo o cantor, a ideia para a realização deste novo show surgiu a partir de um sentimento legítimo de tentar ver o lado bom das situações vivenciadas nos dias atuais. E a mistura entre o cenário musical com o teatral faz com que ele aproveite seu lado ator para encarnar personagens que lhes são tão íntimos, enquanto traça um paralelo entre suas estórias e o momento atual, tornando a apresentação ainda mais interessante e única.

“Hoje em dia, por mais que eu faça simplesmente um show, é impossível para mim dissociar o ator do cantor. Por muito tempo tive dúvidas sobre essa divisão, mas um dia entendi que essas são minhas formas de expressão. Fazem parte do mesmo artista”, afirma Claudio Lins.

O espetáculo começa com a canção “Cegueira” (do seu segundo álbum, “Cara”), composta a partir do livro “Ensaio sobre a cegueira”, de José Saramago. Seguida por músicas como, “Tá boa, santa?”, que foi feita para o premiado documentário “Dzi Croquettes” e fala da liberdade de ser “Nem dama nem valete”, e “Não foi o primeiro beijo” da trilha original de “O beijo no asfalto – o musical”.

Aliás, outras personagens e canções compostas para o espetáculo estão no show: “Alguém” e “Toda noite”. Além de outras criações do músico para as obras “Randevu do Avesso” e “Senna, o musical”. Há também algumas que Claudio teve a oportunidade de cantar em musicais, como “Caçador de mim” de “Milton Nascimento - Nada será como antes” e canções que foram temas de novelas, como “Por toda vida” de “Ciranda de pedra” e “Cupido”, que tocou em “Avenida Brasil” e “Uma rosa com amor”.

“No ano passado, eu convidei a Zélia Duncan para participar de um show meu. Foi um encontro muito afetuoso. Isso me inspirou a compor uma canção que achei a cara dela, tanto que chamei de Zeliana. Um tempo depois, tomei coragem, sou muito tímido para traçar parcerias, e mandei para ela. Foi incrível: em alguns dias ela mandou a letra! Ficamos de compor mais...”, conta Claudio sobre a parceria com a cantora autora do blues “Sozinha é Bom”.

Com a participação do pianista Heberth Souza e com produção de Maria Braga, o show “Estórias pra quem (ainda) olha pro céu” estreou no dia 29 de junho, no Centro de Música Carioca, na Tijuca, com duas sessões lotadas, e promete repetir o sucesso no Teatro UFF. 

“Imagino que próximo a um ambiente universitário exista um público ávido por experiências diferentes e mais profundas. Pouca gente sabe, mas já fui estudante de cinema na UFF por 1 semestre! De um certo modo, vai ser um reencontro com algo que ficou no passado. E vai ser muito bom poder olhar pra um céu diferente!”, convida Claudio Lins. 

O Teatro da UFF fica Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, Niterói - RJ. Dia 13, às 20h. Preço: R$50 (inteira). Classificação: Livre. Telefone: 3674-7515.  

Scroll To Top