Di Caprio recebe prêmio de melhor ator pelo longa O Regresso

Entretenimento
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

O diretor Alejandro Iñarritu e Leonardo Di Caprio: os vencedores da noite pelo longa O Regresso

Foto: Divulgação

As atenções se voltaram neste domingo (28), para a cerimônia de entrega do Oscar, realizada no Teatro Dolby, em Los Angeles, nos Estados Unidos, para o prêmio de melhor ator, que finalmente fez justiça a Leonardo Di Caprio, após quatro indicações frustradas. O ator foi escolhido por seu trabalho em O Regresso, em que incorpora o explorador vingativo Hugh Glass.

O filme brasileiro O Menino e o Mundo, do diretor Alê Abreu, perdeu, na categoria animação, para Divertida mente, produzido pela Pixar Animation Studios e dirigido por Pete Docter.

A entrega do Oscar aos melhores atores, técnicos e filmes de 2015 foi transmitida para todo o mundo, ao vivo, pela emissora de televisão norte-americana ABC.

Ao receber a premiação, Di Caprio deu um tom ambientalista ao seu discurso. "A mudança climática é real. Isso está acontecendo agora. Esta é a ameaça mais urgente para toda a nossa espécie", disse. "Precisamos apoiar os líderes de todo o mundo que falam para os povos indígenas, para a humanidade, as vozes que foram abafadas pela política de ganância”, completou.

O Regresso também rendeu o prêmio de melhor diretor a Alejandro González, que recebeu seu segundo Oscar, e o de melhor fotografia a Emanual Lubezki, único na história da premiação a receber a estatueta por três anos consecutivos.

O título de melhor filme ficou para Spotlight – segredos revelados, de Tom McCarthy. também foi considerado o melhor roteiro original. "Este filme deu voz aos sobreviventes", disse o produtor Michael Sugar, ao comentar a denúncia feita pelo filme que conta a história de um grupo de jornalistas, em Boston, que consegue levantar documentos comprovando a prática de pedofilia praticada por padres católicos. "Esse filme amplifica essa voz que, esperamos, venha a se tornar um coro que vai ressoar por todo o caminho até o Vaticano", acrescentou.

Ennio Morricone, o lendário compositor de trilhas sonoras de filmes como O Bom, o Mau e o Feio e Os Intocáveis, finalmente ganhou um Oscar, seu primeiro em seis indicações. Aos 87 anos, Morricone se tornou o mais idoso vencedor na história do Oscar, pela trilha do filme Os 8 Odiados, de Quentin Tarantino.

Indicada pela primeira vez, Brie Larson levou a estatueta de melhor atriz por O Quarto de Jack. A sueca Alicia Vikander foi melhor atriz coadjuvante por A Garota Dinamarquesa. Mark Rylance foi melhor coadjuvante por Ponte dos Espiões. Mad Max: Estrada da Fúria, de George Miller, foi o mais contemplado, com seis prêmios: mixagem de som, edição de som, montagem, cabelo e maquiagem, design de produção e figurino.

O anfitrião, o comediante negro Chris Rock, tratou com piadas irônicas os protestos feitos à academia de cinema pela ausência de negros nas principais indicações. “A grande questão é: por que estamos protestando? Por que neste Oscar? É a 88ª edição do prêmio. Quer dizer que essa coisa toda de não indicarem negros aconteceu pelo menos outras 71 vezes. Você imagina que poderia ter acontecido nos anos 50, 60 e tenho certeza de que não houve indicações. Sabe por quê? Porque nós tínhamos coisas de verdade para protestar naquela época", disse Rock. 

Veja a lista completa dos premiados no Oscar 2016:

Melhor roteiro original - Spotlight - Segredos Revelados

Melhor roteiro adaptado - A Grande Aposta

Melhor atriz coadjuvante - Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa)

Melhor figurino - Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor design de produção - Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor cabelo e maquiagem -  Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor fotografia - O Regresso

Melhor montagem - Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor edição de som - Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor mixagem de som - Mad Max: Estrada da Dúria

Melhores efeitos visuais - Ex Machina

Melhor curta de animação - Bear Story

Melhor animação - Divertida mente

Melhor ator coadjuvante - Mark Rylance (Ponte dos Espiões)

Melhor documentário de curta-metragem - A Girl in the River: The Price of Forgiveness

Melhor documentário - Amy

Melhor curta metragem (live action) - Stutterer

Melhor filme estrangeiro - O Filho de Saul (Hungria)

Melhor trilha sonora - Os 8 Odiados

Melhor canção original - Writing's on the Wall, Sam Smith (007 contra Spectre)

Melhor diretor - Alejandro G. Iñárritu (O Regresso)

Melhor atriz - Brie Larson (O Quarto de Jack)

Melhor ator - Leonardo DiCaprio (O Regresso)

Melhor filme - Spotlight: Segredos Revelados

(Agência Brasil)