Em um mundo distópico

Entretenimento
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Em sentido horário: “Jogador Nº 1’, que marca o retorno de Spielberg

Foto: Divulgação

Esta semana terá filmes para todos os gostos. As estreias vão de blockbusters regados de computação gráfica, como “Jogador Nº 1” e “Uma Dobra no Tempo”, até os mais “raiz”, como “Zama” - que concorreu à categoria de Melhor Filme Estrangeiro do Oscar 2018 - e “Deixe a luz do sol entrar” - ganhador do prêmio SACD de Melhor Filme na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes 2017.

Em “Jogador Nº 1”, Steven Spielberg nos apresenta um mundo distópico onde a humanidade se abstrai cada vez mais do mundo real através de um jogo de realidade virtual em que as possibilidades são infinitas. A situação sai do controle quando o criador do jogo morre e deixa um quebra-cabeça cujo prêmio é sua fortuna. Wade Watts, um rapaz de poucos amigos, entra em uma disputa em que as realidades se confundem e sua vida é posta em perigo.

Outra superprodução desta semana é “Uma dobra no tempo”, com distribuição da Disney. O longa conta a história dos irmãos Meg e Charles, que resolvem ir atrás de seu pai cientista que desapareceu enquanto trabalhava em um misterioso projeto do governo. Na viagem que enfrentarão pelo tempo e espaço, eles contarão com seu colega e três mulheres excêntricas que ajudarão a encontrá-lo. 

Filme da diretora argentina Lucrecia Martel, “Zama” se passa no fim do século XVII e conta a história de Don Diego de Zama, um oficial da Coroa Espanhola que se sente estagnado na cidade em que vive e espera ansiosamente a carta de autorização do Rei para sua transferência. Depois de anos de espera, ele se junta a um grupo de soldados que saem para Buenos Aires - habitada por índios selvagens - à caça de um perigoso bandido. 

Com a exuberante atriz francesa Juliette Binoche e o icônico Gérard Depardieu, a comédia romântica à moda francesa “Deixe a luz do sol entrar” traz o drama da artista plástica parisiense Isabelle, uma mãe divorciada que vive uma busca incessante por amor na capital francesa. Em meio a encontros, casos, brigas e desilusões, ela vai descobrindo que amar e ser amada pode ser uma missão muito complexa.


Direito e Justiça pela lente do cinema

Filme da diretora argentina Lucrecia Martel, “Zama” se passa no fim do século XVII

Foto: Divulgação

Está acontecendo no Centro Cultural Justiça Federal o cinedebate “O Direito realiza a Justiça?”, com três sessões seguidas de debates conduzidos pelo professor da Faculdade de Direito da Fundação Getúlio Vargas Gabriel Lacerda. 

Uma aconteceu no dia 8 de março, com o filme “12 homens e uma sentença”; a próxima acontecerá no dia 12 de abril, com “Em minha terra”; e dia 10 de maio, com “Invasões Bárbaras”. 

Os debates tratarão não apenas da aplicação de conceitos teóricos de Direito, mas de uma abordagem ancorada na prática da advocacia aliada a vivências históricas importantes. 

A programação é voltada para estudantes de Direito, e a OAB concederá horas de estágio aos alunos presentes, mas o evento é aberto a todos os interessados pelo assunto. As sessões começam às 18h, mas a distribuição de senhas começa uma hora antes. A entrada é franca.