NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Emerson Ceará traz suas verdades

Espetáculo mistura o tradicional jeito de fazer comédia dos nordestinos e a atualidade e modernidade do stand-up

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação
 

O comediante Emerson Ceará chega a Niterói esse mês com seu novo espetáculo “Trago Verdades”. O stand-up segue o estilo de Emerson, sendo bem ácido e direto, misturando o tradicional jeito de fazer comédia dos nordestinos e a atualidade e modernidade do stand-up. No show, Ceará conta histórias autobiográficas, como os dilemas de suas vida social e profissional no mundo atual. 

A ideia de fazer o “Trago Verdades” surgiu depois que o comediante “aposentou” seu segundo show solo depois da gravação de um especial em Fortaleza, mas, antes disso, Ceará já vinha testando em suas apresentações novas piadas e textos. O nome surgiu por meio de uma sugestão de sua esposa, Fabrícia Ramos, por representar o que o comediante fala, seja qual for o assunto abordado na piada, além disso, todas as histórias contadas por Emerson são coisas de sua própria vida, tudo o que passou e viveu.

O comediante contou como resolveu trabalhar com o humor. “Aconteceu, sabe? Fiz de tudo nessa vida! Carpi roça, vendi balas na rua quando criança, vendi coisas na rua: rede, cinto, óculos. Já fui ajudante de obra, lavei carro em posto de gasolina e depois virei pizzaiolo, barman e, por último, garçom. Sempre quis ser garçom. Acho elegante, acho a coisa do servir e atender muito legal. Sempre admirei muito. Respeito muito. E fui virar garçom num Clube de Comédia em Curitiba. E vendo os comediantes no palco, eu pensei: posso fazer isso aí. E um ia pedi pros donos. E os doidos deixaram (risada). E fui fazendo 5 minutos por dia depois dos principais shows da noite. Eu atendia as mesas, e depois subia. De uniforme mesmo, e fazia 5 minutos. E fui fazendo, fazendo, e 10, 15 minutos e indo bem e a coisa rolou e tô aqui.”

Emerson não tem um viés preferido para fazer suas piadas, para ele, a função do comediante e de seus textos é ser engraçado e fazer seu público gargalhar durante todo o show. Tem gosto sobre a vida e de refletir sobre ela, levando uma bagagem de onde viveu, do que passou e das mudanças e transformações na sua vida, além de questionar todo o mundo atual e a forma como a sociedade vive e se vê, apontando questões básicas do dia a dia. 
Emerson também contou como se sente por ser visto, hoje, como um dos principais nomes da comédia brasileira.
“Eu ralo, viu? Ralo! É um caminho como qualquer outro, e que exige dedicação, cuidado, falta de sono e estrada. E eu acrescento cana, cachaça, tarrafa e Diogo Almeida nesse processo (risada). Eu fico feliz. Tô feliz! Viajando pelo país, vivendo do meu ofício e conhecendo gente, vendo gente rir e gente trocar comigo histórias. E quero ficar nisso. Ajudar mais minha família.” 

O Teatro Abel fica na Rua Mário Alves, 02 – Icaraí. Domingo (16), às 19h. Preço: R$60 (inteira). Classificação: 16 anos. Telefone: 2195-9800.



 

 
Scroll To Top