NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Mulher que canta o que emociona

Cantora popular: Alcione é categórica ao dizer “O importante é revisitar minha história e orgulhar-me de sempre ter cantado o que gosto, o que sempre me emocionou”

Marcos Hermes / Divulgação

Celebrando toda a sua trajetória de enorme sucesso, a cantora, compositora e instrumentista Alcione traz para o Country Club de Niterói, no próximo sábado (29), o show “Eu Sou a Marrom”.

Com 47 anos de carreira, a cantora maranhense apresentará seus principais sucessos, que fizeram dela uma das artistas mais reconhecidas e populares do País. Canções como “Mulher ideal”, “A loba”, “Não pense em mim”, “Estranha loucura”, “Sufoco”, “Você me vira a cabeça”, “Meu ébano”, “Valeu demais” e “Não deixe o samba morrer” não ficarão de fora do longo setlist do show.

Quem fica responsável para abrir o show da noite é o cantor e compositor Inácio Rios, filho do respeitado sambista Zé Katimba. O DJ Felipe Rocha esquenta o público nos intervalos das apresentações. 

“Um espetáculo baseado em alguns dos maiores hits de minha carreira, e algumas surpresas. Um show para que possamos interagir muito, eu e os músicos, com a plateia niteroiense. Público que sempre me prestigiou durante toda a minha trajetória, diga-se de passagem. Tenho, além da grande admiração pelo público niteroiense, um convívio muito intenso com esse lado da ponte. A maioria dos meus músicos é de Niterói e São Gonçalo, e estão comigo há anos. Portanto, já me sinto em casa por aí”, revela a cantora. 

A turnê “Eu Sou a Marrom” já passou por diversos estados brasileiros e recebeu participações superespeciais, como a Bateria da Estação Primeira de Mangueira, sua escola de coração, e ninguém mais ninguém menos que Maria Bethânia, momentos que fazem parte de uma coleção de histórias e lembranças destes quase 50 anos de estrada. 

“Existem tantos momentos gratificantes que fica difícil enumerá-los. O importante é revisitar minha história e orgulhar-me de sempre ter cantado o que gosto, o que sempre me emocionou. Nunca fui atraída pelo simples desejo de fazer sucesso. Sempre quis ter uma carreira e foi isso que construí. E é disso que, volto a dizer, me orgulho profundamente”, confessa Alcione, que sempre se arriscou em passear por diversos estilos, como samba, bolero, MPB, etc. “Sou uma cantora popular, canto o que me atrai, o que aprecio. Jamais quis me enquadrar em alguma caixinha ou ser rotulada disso ou daquilo. Gosto de música boa, independentemente de gêneros. O importante é a canção, e isso independe de estilos”. 

Aos 71 anos de idade, Alcione se mantém em movimento, tendo conhecimento sobre questões urgentes à nossa sociedade, como as das mulheres. Segundo a cantora, o feminismo sempre fez parte da sua vida, e sua maior referência de luta e resistência foi sua mãe, Felipa Nazareth.

“Ela foi uma grande mulher, forte, inspiradora e altiva. Mas existem milhões de mulheres corajosas, fortes, e que merecem o nosso aplauso e apoio pelas lutas que empreendem e empreenderam em prol de causas fundamentais para nós mulheres”, comenta a cantora. 

Futuro – Após lançar 42 álbuns, entre eles LPs e CDs, nove DVDs, ter ultrapassado a marca de 10 milhões de discos vendidos, mais de 350 prêmios nacionais e internacionais, e ter realizado shows em mais de 30 países, Alcione não deixa de sonhar e pensar no que vem pela frente.

“Sempre tenho objetivos à frente, sonhos a serem concretizados. Agora mesmo estou muito feliz porque começo a gravar um novo álbum de inéditas. O repertório já está selecionado, os arranjos sendo feitos e as músicas, tenho certeza que irão agradar aos fãs”, finaliza. 

O Country Club de Niterói fica na Rua Chile, 135, em Pendotiba, Niterói. Sábado (29), às 21h. Preço: a partir de R$ 50 (antecipado). Classificação: 18 anos. Telefone: 2616-4000.

Scroll To Top