NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Para se emocionar na telona

 

Divulgação

“Inocência Roubada”, drama com direção de Andréa Bescond e Eric Métayer, conta a história de Odette (Andréa Bescond), que, aos oito anos, gostava de pintar e desenhar, como todo criança inocente. Eventualmente, ela também brincava com os adultos, por isso não recusou participar de uma “guerra de cócegas” com um homem mais velho, amigo de seus pais. Anos depois, Odette é uma adulta assombrada pelos traumas da infância, algo que ela vem tentando esquecer através da dança, atividade que ela pratica profissionalmente.

Já “Atentado ao Hotel Taj Mahal” se passa na Índia,  no ano de 2008. Um grupo de terroristas chega à cidade de barco, disposto a promover uma série de ataques em locais icônicos da cidade. Um deles é o luxuoso hotel Taj Mahal, bastante conhecido pela quantidade de estrangeiros e artistas que nele se hospedam. Quando os ataques começam, o humilde funcionário Arjun (Dev Patel) tenta ajudar todos a se protegerem, enquanto David (Armie Hammer) e Zahra (Nazanin Boniadi) buscam algum meio de retornar ao quarto em que estão hospedados, já que, nele, está seu bebê e Sally (Tilda Cobham-Hervey), sua babá.

A comédia romântica “Amor à segunda vista” conta que, do dia para a noite, Raphael (François Civil) acorda em um universo paralelo onde nunca conheceu Olivia (Joséphine Japy), o amor da sua vida. Agora, ele precisa reconquistar a sua esposa, mesmo sendo um completo estranho para ela. Enquanto Raphael tenta entender exatamente o que aconteceu, ele corre contra o tempo para não perdê-la.

Na aventura “A Pequena Travessa”, Lilli Susewind (Malu Leicher) tem a habilidade de falar com animais, mas, fora seus pais, ninguém sabe deste segredo. Quando ela conhece Jess (Aaron Kissiov), um menino divertido e misterioso de sua nova escola, decide contar para ele. Juntos, os dois precisam achar o filhote de elefante que foi roubado do zoológico da cidade.

Finalizando as estreias, “Estou me guardando para quando o carnaval chegar” é um documentário que se passa na cidade de Toritama, considerada um centro ativo do capitalismo local, onde mais de 20 milhões de jeans são produzidos anualmente em fábricas caseiras. Orgulhosos de serem os próprios chefes, os proprietários destas fábricas trabalham sem parar em todas as épocas do ano, exceto o carnaval. Quando chega a semana de folga, eles vendem tudo que acumularam e descansam em praias paradisíacas





Scroll To Top