Rock progressivo: Carl Palmer em Niterói

Entretenimento
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Turnê homenageia os músicos Keith Emerson e Greg Lake, falecidos em 2016

Foto: Divulgação

O baterista britânico Carl Palmer se apresenta no Teatro Municipal de Niterói, neste sábado, às 20h, em um show que faz parte da turnê “Emerson, Lake & Palmer LIVES ON!”. A turnê é uma homenagem aos ex-integrantes Keith Emerson e Greg Lake, falecidos em 2016, que foram seus companheiros de palco durante os anos 70. O grupo foi um dos pioneiros do rock progressivo e entrou para história ao ser a primeira banda a levar um sintetizador para um show.  

“Rock progressivo é um termo que descreve uma música que é essencialmente destemida. Não havia regras ou limites com o rock progressivo. Tínhamos a capacidade de experimentar qualquer coisa e, se funcionasse, geralmente era incrível. O ELP incorporou todo o estilo de música que conhecíamos: rock, jazz, blues, folk e, claro, música clássica. Tudo isso nos influenciou”, lembra o baterista. 

A banda começou com a vontade de Keith e Greg deixarem suas bandas. Começaram a procura de um baterista para acompanhá-los e estavam “de olho” em Palmer, mas, no primeiro momento, ele relutou. 

“Eu já tinha feito parte do The Crazy World of Arthur Brown e estava fazendo muito sucesso no Atomic Rooster. Não tinha certeza se era sensato deixar aquele grupo e me juntar a Keith e Greg. No final, eu arrisquei. Me juntei a eles e acho que funcionou muito bem”, relata. 

Ele planeja um show de duas horas, que combina as mais memoráveis músicas da ELP e de outros compositores, com um visual distinto.  

“Nós temos curtas-metragens que passam na tela com cada uma das músicas. Os presentes poderão ouvir sucessos como ‘Lucky Man’, ‘Hoedown’ e ‘Welcome Back My Friends’, mas também haverão outras grandes faixas, como ‘Knife Edge’ e ‘Trilogy’, além do álbum ‘Tarkus’ inteiro”, adianta. 

Além do ambiente nostálgico criado com as filmagens projetadas durante as músicas, o público também poderá entrar em contato com o Carl Palmer artista visual, com uma combinação única entre fotografia moderna, luzes e bateria. 

“É algo único que venho trabalhando desde 1973. Estou envolvido com uma empresa chamada Scene Four e, juntos, criamos mais de 30 imagens que são edição limitada, todas assinadas por mim. Também tenho uma série chamada ‘My Legends’, em que apresento imagens que dedico a Keith, Greg e John Wetton - falecido em 2017.”