NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Campeão mundial é confirmado em Niterói

A dupla de Burmakin com Giovannini foi campeã em Aruba, no Caribe, que é o evento com maior número de jogado

Divulgação

O Rio Beach Tennis Tour, em parceria com a Secretaria de Esporte e Lazer de Niterói, no estado do Rio de Janeiro, teve confirmada a presença de vários dos principais italianos e líderes do ranking mundial e o atual campeão mundial do Beach Tennis. O evento ocorre na charmosa e popular praia de São Francisco, na Zona Sul, entre os dias 26 e 28 de abril, distribui US$ 3 mil em premiação (R$ 11 mil) e dará hospedagem aos atletas principais atletas da chave profissional.

Atual campeão mundial,o italiano Mikael Alessi vai disputar o evento. Atual sexto do mundo ele formará parceria com Luca Cramarossa, ex-número 1 do mundo e atual quinto colocado do ranking da Federação Internacional de Tênis: 

“Será minha segunda vez em Niterói, joguei dois anos atrás com Nicola Strano. Atuei em apenas dois torneios com o Cramarossa, mas podemos jogar bem juntos, claro que precisamos melhorar, mas não vamos revelar para não dar informações aos nossos rivais (risos)”, disse Alessi que optou por se tornar um profissional quatro anos atrás deixando o futebol onde atuava no clube de sua cidade, em Rimini.

Ano passado Alessi atingiu o ápice da carreira ao conquistar o Mundial em Cervia, na Itália, ao lado do espanhol Antomi Ramos, derrotando várias das melhores duplas do mundo: “Foi uma incrível conquista vencer o torneio em frente minha família, namorada, foi o melhor que poderia ter. Mas não mudou nada ser o campeão mundial. Sempre é preciso melhorar meu jogo e o título foi a recompensa pelo duro trabalho”.

Curiosamente o objetivo de Alessi agora não é buscar o número 1 do ranking, posto que nunca ocupou: “Não sinto pressão eu acho, nunca fui número 1, claro que seria muito legal, mas não é um título, prefiro ganhar títulos”. 

Parceiro de Alessi, Cramarossa também já atuou em Niterói e tem boas recordações com o título de 2017 na praia de Piratininga no circuito mundial - ao lado de Marco Garavini. Ele trás na bagagem o fato de ter liderado o ranking. 

“Venci dois anos atrás, muito feliz de voltar esse ano, quero vencer de novo, mas curtir a atmosfera, as pessoas no Brasil são incríveis. Vim várias vezes ao Brasil, é sempre um prazer, o tempo, o sol, a praia, gosto de ver as pessoas o dia inteiro na praia, o tempo é o melhor pra mim, gosto muito da atitude dos brasileiros com esporte e energia. São pessoas muito carasmáticas”, disse Cramarossa que na conquista dois anos atrás bateu na final o niteroiense Ralff Abreu e o carioca Diogo Carneiro.

“Nossa expectativa é vencer o torneio, somos uma boa dupla eu e o Alessi, jogamos bem juntos, somos muito amigos, temos uma boa relação e um bom sentimento em quadra, vamos treinar bastante para melhorar nosso jogo para buscar o título”, disse

O Brasil já tem confirmações dos atletas que brilharam no ano passado no Mundial por equipes da Rússia em 2018 como a carioca Joana Cortez, ex-número 1 do mundo, os santistas Thales Santos e Marcus Vinícius Ferreira, que deram o ponto decisivo da conquista, o carioca Vinicius Font, que liderou o ranking mundial em 2014 sendo o primeiro não italiano a obter tal façanha, além da paranaense Marcela Vita, terceira melhor do país e entre as 15 do mundo. 

O niteroiense Ralff Abreu, ex-número 1 do país, e top 30 mundial é outro confirmado. conquistar títulos.


Scroll To Top