Dia de velocidade e resistência em Niterói

Esportes
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

André ressaltou a importância de Niterói receber o evento

Foto: Divulgação

Um desafio de resistência passando por paisagens que marcam o cotidiano dos niteroienses como o Forte Gragoatá, o Museu de Arte Contemporânea (MAC), na Boa Viagem, e a praia de Charitas. Estas são as atrações da primeira edição da Meia-Maratona de Niterói, que acontece neste domingo (17), a partir das 7h da manhã, com largada do Teatro Popular Oscar Niemeyer e três categorias diferentes: kids, Meia-Maratona, Corrida e Caminhada e Kids.

O trajeto da disputa de 21 k contempla importantes pontos da cidade, como o Forte Gragoatá, Boa Viagem, Estrada Leopoldo Fróes e Catamarã Charitas, onde acontece o retorno. Já o trajeto da prova de 5k passará pelo Centro e pelo bairro de São Domingos, onde os competidores retornarão no Forte Gragoatá e seguirão para a linha de chegada. A largada da Meia-Maratona ocorrerá às 7h, a da prova de 5km acontecerá às 7h20 e a de Kids encerrá a programação às 9h30.

Participar de uma prova no quintal de casa e local de muitos dos treinos é um fator especial para os corredores niteroienses. É isso o que conta a engenheira de produção Izabelle Vieira, de 29 anos.

“Fazer uma meia maratona em Niterói é o prazer de correr praticamente em casa e passar pelas mais belas paisagens de Niterói, não tem preço, a experiência será incrível”, disse.

Quem corrobora com a opinião da corredora é o jornalista André Luiz Coutinho, que compete em diversas provas da região.

“É, antes de tudo, uma satisfação enorme poder disputar uma prova dessa na minha própria cidade e que muitas vezes é justamente o meu local de treino. Acho que conheço as curvas do calçadão da Praia de Icaraí melhor do que os cômodos lá de casa. Sem dúvidas da uma energia extra correr por esses cartões postais, ao mesmo tempo que é uma grande responsabilidade também”, destacou. Ele ainda comentou de forma detalhada a respeito da preparação para a uma prova de lona duração como uma Meia-Maratona.

“A preparação para uma meia maratona começa semanas antes da prova. Dosando treinos de resistência com descanso, para não chegar no dia com o músculo fadigado, em outras palavras, cansado mesmo. Na semana da corrida também procuro cuidar mais do que o normal da alimentação, consumindo mais carboidratos como inhame e batata doce nas refeições, para garantir um estoque de energia. No dia anterior sempre rola um macarrão com carne moída. Também costumo beber cerca de 3 litros por dia na véspera e evito bebida alcoólica cerca de um mês antes, já que ela influencia demais no desempenho e ainda atrapalha no processo de hidratação”, disse, completando.

“Sem dúvidas a resistência vai ser muito importante, porque o trajeto da meia maratona de Niterói prevê passagem duas vezes pelas ladeiras do Museu de Arte Contemporânea (MAC), na ida e na volta, respectivamente no começo e na reta final da prova. Confesso que isso tem tirado um pouco o meu sono, mas tenho treinado bem sob a supervisão do treinador Jean Lino da equipe Inove para poder superar esse obstáculo”, destacou.

Já Izabelle destaca que saber a hora de dosar o ritmo é fundamental.

“A resistência é primordial. Saber a hora certa de aumentar ou diminuir o ritmo faz toda diferença.As subidas se tornam a maior dificuldade, pois exige mais resistência, ritmo e preparo”, destacou.

O comunicador, que vai para a sua segunda meia-maratona, ainda projetou uma meta de tempo para a prova.

“Essa vai ser a minha segunda meia maratona, na primeira no final de julho eu fiz um tempo de 2h22, minha ideia para agora é tentar ficar na casa dos 2h10 e tal, para depois nas próximas provas do tipo conseguir baixar esse tempo ai para menos de duas horas. No geral meu objetivo mesmo é completar a prova, independente do tempo”, revelou. Já Izabelle, mas experiente neste tipo de prova pretende completar o circuito em 1h45.

André ainda ressaltou a importância de Niterói possui uma prova deste porte em seu calendário esportivo.

“É muito importante pra gente ter eventos de grande porte acontecendo por aqui. Já temos a Corrida Social que chegou recentemente a oitava edição, agora uma meia maratona fazendo parte do calendário regular da cidade também irá ajudar a difundir o esporte na região, fortalecendo ainda mais o cenário local”, disse André.

A prova está sendo organizado pela empresa 3A eventos, liderados pelos triatletas Armando Barcellos, Karen Casalini e Tamia Casalini. Armando Barcellos, niteroiense de 51 anos, bicampeão brasileiro de triathlon em 98 e 99, e chefe da delegação brasileiro nas Olimpíadas de Atenas-2004, falou sobre os objetivos do primeiro ano da Meia-maratona de Niterói.

“A ideia de realizar a Meia Maratona de Niterói, aconteceu por vários aspectos, porém os mais importantes foram a falta de uma corrida desta distancia em nossa Cidade. Fui nascido e criado em Niterói. E um orgulho para mim poder devolver um pouco da minha experiência adquirida ao longo dos meus 30 anos de carreira esportiva para os atletas iniciantes e entusiastas da distância”, contou

Ele também explicou a respeito do percurso da prova que alia competividade e pontos turísticos da Cidade Sorriso.

“Niterói tem uma beleza natural muito implícita a cidade. A maioria de todos nós que moramos aqui acabamos acostumado ao cenário diário. Convidamos a todos a conhecerem Niterói sob uma nova perspectiva. Todos que fizerem a corrida terão a sensação de estar correndo em outra cidade. Escolhemos o Teatro Popular de propósito para início e termino da corrida para que esta sensação esteja mais ainda presente a todos”, destacou, completando.

“A Prova está aberto a todos com mais de 15. Não temos limite de idades superiores. Para este ano não teremos premiação em espécie para categorias abertas, mas estamos estudando para o próximo ano colocar um “incentivo” extras para os atletas de elite”, afirmou.

Questionado sobre o que é mais difícil, ser organziador ou competidor, ele deu os méritos a sua equipe, e por fim, projetou o que o público pode esperar da Meia-Maratona.

Com certeza quando se quer fazer o melhor, ambos são desafiadores, porem o mérito desta organização e da Karen Casalini. Ela realmente fez um dever de casa brilhante. Tenho certeza que a prova será um sucesso. Acho que é uma oportunidade única de ver seus familiares e amigos correndo em sua própria cidade. Vamos para as ruas torcer. Com certeza haverá um conhecido passando por la. Vai ser um evento que entrara para história de Niterói, pela organização e pelo pioneirismo do evento”, encerrou.