Experiência como arma para seguir na Liberta

Esportes
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

O volante Rodrigo Lindoso acredita que o Glorioso deverá usar o aprendizado adquirido nos mata-matas anteriores para superar o Grêmio, amanhã, em Porto Alegre

Foto: Divulgação / Vitor Silva/ SSPress/ Botafogo

O Botafogo treinou pela última vez no Rio de Janeiro antes da viagem para Porto Alegre, local do jogo decisivo contra o Grêmio, na Arena, pelas quartas de final da Copa Libertadores da América. Em entrevista coletiva, o volante Rodrigo Lindoso citou a vivência do Glorioso diante de decisões na temporada, o que poderá ajudar diante de mais um duro adversário.

“O nosso próximo jogo sempre será o mais importante. Agora é o Grêmio. Se não conseguirmos um empate com gols ou uma vitória lá acaba a Libertadores para nós. E decisões como essa acontecem conosco desde o começo do ano. Isso nos deu mais cancha e acho que tudo que nos aconteceu foi de extrema importância. Hoje estamos muito mais cascudos e preparados para esse jogo”, disse Lindoso.

Experiência importante para manter a receita que rende frutos na Libertadores e também para utilizar como aprendizado. Mesmo com a vantagem em caso de empate com gols, Lindoso prefere o comprometimento alvinegro para construir o resultado e a consequente classificação.

“Essa vantagem não existe tanto. Sabemos como será difícil para fazer um gol lá. Sofremos isso contra o Flamengo e deixamos a desejar nas duas partidas da Copa do Brasil. O Estádio estará cheio e eu gosto de jogar assim. Temos que respeitar o Grêmio, mas sempre sabendo do que estamos fazendo. Contra o Flamengo arriscamos pouco e acabamos sofrendo um gol, o que deixou tudo mais difícil. Não vamos jogar só por uma bola”, frisou. 

Histórico – O Botafogo encontrou a fórmula para jogar fora de casa na Copa Libertadores e vai precisar usá-la com eficiência se quiser seguir na competição após o choque desta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), diante do Grêmio, na Arena em Porto Alegre (RS), pela rodada de volta das quartas de final da Copa Libertadores. Na ida, os times empataram sem gols e quem vencer avança, sendo que igualdade a partir de 1 a 1 classifica os cariocas, pois os tentos anotados como visitante valem para critério de desempate.
Até aqui, o Botafogo jogou seis vezes como visitante nesta Libertadores e apenas em duas ocasiões, derrota de 1 a 0 para Olimpia, no Paraguai, e Estudiantes, na Argentina, não conseguiria a vaga no Rio Grande do Sul em caso de repetição de placar. Nas demais partidas, o Botafogo fez longe de casa um resultado que o levará às semifinais se for reproduzido contra o Grêmio. 

Foi assim nos empates por 1 a 1 com o Colo-Colo, no Chile, pela pré-Libertadores, e com o Barcelona, no Equador, pela fase de grupos. Ainda pela etapa de chaves o time derrotou o Atlético Nacional por 2 a 0 na Colômbia e o Nacional do Uruguai, por 1 a 0, este último já pelas oitavas de final.

“Acredito que temos uma maneira de jogar que nesta Libertadores tem rendido bons frutos quando atuamos na condição de visitante. É importante que isso se repita contra o Grêmio. Vamos precisar marcar de maneira constante, mas sempre buscando a vitória. Se marcarmos gols vamos tornar a vida do adversário muito complicada e por isso mesmo precisamos ter um lado bem ofensivo em campo”, disse o volante Bruno Silva. 

O elenco do Botafogo embarcou nesta segunda-feira (18) para Porto Alegre, onde treina na tarde desta terça-feira (19), no Sul.