Flu inicia busca por taça inédita

Esportes
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

O elenco tricolor trabalha para iniciar com vitória a sua trajetória na Copa Sul-Americana desta temporada, diante do Nacional, da Bolívia, no Maracanã

Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.

Já eliminado da Copa do Brasil e sequer tendo chegado à final do Campeonato Carioca, o Fluminense estreia na Copa Sul-Americana nesta quarta-feira (11), às 21h45(de Brasília), no Maracanã, recebendo o Nacional de Potosí, da Bolívia. O torneio continental é tratado como o caminho mais curto para a conquista de um título nesta temporada e está sendo muito valorizado pelos lados das Laranjeiras.

Abel Braga, treinador do Fluminense, tem trabalhado o aspecto psicológico dos jogadores, pois sabe que tem um elenco muito jovem em suas mãos e a Copa Sul-Americana exige experiência por ser um torneio internacional.

“Acredito que podemos fazer uma boa competição. O elenco é jovem, mas nós estamos trabalhando muito e nunca faltou espírito de luta. A entrega tem sido constante dentro de campo e isso também é importante. Vai ser um duelo complicado, mas o nosso pensamento é o de conquistar um bom resultado em casa”, disse o técnico Abel Braga.

Fazer a lição de casa é muito importante para o Fluminense. Isso porque o duelo de volta, em 10 de maio, acontecerá na altitude de Potosí, que tem quatro mil metros de altura e costumna ser uma das mais complicadas de se enfrentar. Porém, a busca pela vitória precisa ser com responsabilidade.

“Nós vamos precisar atacar e isso é fato, pois temos que conquistar um resultado que nos dê um pouco mais de tranquilidade na volta. Mas o Nacional de Potosí tem jogadores de qualidade e essa maneira de atacar não pode deixar a defesa exposta. Falo isso porque se levarmos um gol aumenta o grau de dificuldade no jogo de volta. É buscar o tempo todo o gol, mas sabendo que não dá para descuidar - disse o meia equatoriano Junior Sornoza.

O treinador do Fluminense não antecipou a escalação que vai mandar a campo, porém, deverá manter a base que vinha jogando na temporada devido à falta de opções. Nenhum reforço ainda foi oficializado para a sequência da temporada.

Pelo lado do Nacional de Potosí, o técnico Edgardo Malvestitti reconhece que deverá adotar uma postura mais defensiva.

“Nós sabemos que a decisão da vaga pode acontecer em nossa casa e é neste sentido que temos que trabalhar. Vamos entrar em campo com o pensamento de ganhar o jogo, porém, vale lembrar que a iniciativa do jogo é algo que cabe ao Fluminense, o mandante e que conta com o apoio da torcida. Vamos trabalhar com inteligência, encontrando os melhores momentos de subirmos ao ataque”, disse Edgardo Malvestitti.

Para este compromisso o treinador vai manter a base que vem jogando na temporada. No fim de semana, pelo Campeonato Boliviano, o Nacional de Potosí empatou por 2 a 2 com o Royal Pari. O time é o quarto colocado do Grupo B, na zona de classificação para as quartas de final da competição do país sul-americano.