NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Niteroienses de peso buscam título no torneio Inter Rio de CrossFit

Residente em Niterói, Iuri Carvalho coleciona títulos.

Foto: Douglas Frauches / Divulgação

Nos próximos dias 21 e 22, o Rio de janeiro recebe na quadra do Salgueiro, o Inter Rio, campeonato de Crossfit que conta com atletas amadores e profissionais da modalidade. 

Na categoria profissional, ELITE, apenas 12 atletas do estado são convidados para fazer parte desse celeiro. Niterói estará representada por três atletas de altíssimo nível que lutaram para trazer o título. São eles Yuri Carvalho, Guilherme Belém e Giulia Bittencourt. 

Nessa semana, tivemos um bate papo com o goiano de 22 anos, Yuri Carvalho residente em Niterói, apontado como promessa entre os grandes nomes brasileiros da modalidade.  

Treino pesado e acompanhamento médico acompanham o atleta.

Foto: Click Jerk / Divulgação

Há quanto tempo pratica Crossfit? 

Pratico há 4 anos e há 1 ano parei de competir Judô, na qual sou faixa preta e lutava a 12 anos, para me dedicar só aos treinos de Crossfit. 

Você é apontado pelos seus parceiros como uma grande promessa, qual é o seu foco para esse ano? 

Meu foco é me classificar para o Torneio Crossfit Brasil (TCB) onde só entram os 50 melhores atletas do país. 

Por estar se preparando para os principais campeonatos no Brasil, como é o seu programa de treino? 

Meu programa de treino inclui um cuidado multidisciplinar, é basicamente estruturado com 3 a 5 horas de treino diárias, fisioterapia 3 vezes na semana, quiropraxista uma vez na semana e acompanhamento nutricional e médico mensais. Além dos treinos de Crossfit faço treinos específicos de levantamento de peso olímpico (LPO), 3 vezes por semana, e ginástica, 2 vezes por semana. 

Quais os últimos campeonatos que participou e sua colocação? 

Meus últimos resultados foram: Campeão Machine Boile, Campeão Desafio da Serra, Vice-campeão Niterói Games 2017.  
No CrossFit Open 2018, que foi finalizado esse mês, fui o 1º lugar em Niterói, 7° lugar no Rio de Janeiro, 33º lugar no Brasil. 

Tem algum campeonato em especial que você mais gosta de competir e por quê? 

Gosto de competir o Open, que acontece uma vez ao ano e é a primeira seletiva para o Campeonato Mundial. É uma competição online que você consegue se comparar com o mundo todo e a cada ano vem ficando mais forte e disputado. No ano de 2018 teve mais de 500 mil inscritos, fiquei 2092º lugar no mundo e em 97º da América Latina. 

O que mais gosta no treino de Crossfit ? 

A variedade de exercícios que tem nele, como: Ginástica, Levantamento de Peso Olímpico, Atletismo, Natação. Em específico gosto muito da ginástica, pois venho conseguindo fazer coisas que quando era criança sempre sonhei fazer, ex: Andar de cabeça pra baixo, realizar salto mortal... 

O que recomendaria a um atleta de Crossfit que está querendo começar a competir? 

Uma dica que eu dou, respeite seu corpo, prepare-o para fazer os exercícios de forma correta e procure um bom profissional. Todo esporte feito de forma errada pode machucar e lesionar, no CrossFit não é diferente. 

Quais os benefícios o CrossFit trouxe para sua vida? 

Benefício que o CrossFit me deu foi principalmente cuidar melhor da minha alimentação e saúde, vejo que foi uma das grandes mudanças que eu tive. Hoje dou muito mais atenção a isso do que na época que era atleta de Judô. 

Como você analisa esse crescimento rápido do CrossFit no Brasil? 

Além de ser um esporte desafiador, contendo uma mesclagem de várias modalidades, é uma atividade física que pode ser feita por qualquer pessoa. Existe as adaptações, hoje em dia vemos pessoas com todas as características físicas praticando o CrossFit, seja ela cadeirante, idoso, criança... 


Scroll To Top