O retorno de um campeão tricolor

Esportes
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

O técnico Abel Braga demonstrou felicidade em retornar ao cargo de técnico do Fluminense para os próximos dois anos

Foto: Nelson Perez / Fluminense F.C.

A diretoria do Fluminense apresentou na tarde desta sexta-feira (2), no salão nobre das Laranjeiras, Abel Braga como o novo treinador da equipe. O evento foi marcado pela tristeza ainda por conta do acidente aéreo que envolveu a delegação da Chapecoense.

Abel era um dos nomes trabalhados pelo presidente eleito Pedro Abad e que também agrada o atual mandatário, Peter Siemsen, que vai deixar o cargo em dezembro. Os dois dirigentes participaram do evento, mostrando estarem em sintonia.

“Fiquei muito triste com a saída do Abel em 2013 e sempre falo que poderia ter lutado mais para mantê-lo. Hoje, portanto, esse resgate dele é algo muito importante no fim da minha gestão”, disse Peter.

Pedro Abad também elogiou o novo treinador. Lamentando os ocorridos desta semana, o dirigente externou que a vinda de Abel Braga serviu como um consolo para o clube afetado com a tragédia do rival catarinense.

“Apesar de ser uma semana muito triste por conta do que aconteceu com a Chapecoense, algo que amenizou um pouco o clima para nós aqui dentro foi essa volta do Abel. Fico muito feliz de ter um treinador que já foi campeão pelo clube”, disse Pedro.

Ao iniciar a entrevista, Abel também lembrou da perda dos companheiros de profissão. Em tom emocionado, o treinador também relembrou a morte de Carlos Alberto Torres, um dos principais jogadores da história do Fluminense.

“Essa volta ao clube me faz amenizar a dor que estou sentindo. Ontem fui a Curitiba porque fui fiador do meu filho no apartamento alugado que pertencia ao Gil. Convivi nos Emirados Árabes muito tempo com o Caio Junior. Relacionamento de frequentar casas. Como aqui se esquece as coisas com muita rapidez, não podemos esquecer que há um mês nós perdemos uma das maiores figuras que esse clube já teve que foi o Carlos Alberto Torres. Portanto, em um ano tão triste, apenas o futebol poderia amenizar essa dor”, disse Abel, que antes da entrevista visitou a sala de troféus do clube.