NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Richarlison pede Everton no time

Atacante tem melhorado setor ofensivo da seleção durante os jogos da Copa América. Richarlison fez lobby

Lucas Figueiredo/CBF

Em meio às atuações decepcionantes da Seleção Brasileira nas duas partidas de Copa América até aqui, o atacante Everton conseguiu se destacar como peça ofensiva do time comandado por Tite. Reserva contra Bolívia e Venezuela, o jogador do Grêmio tem o apoio até de um concorrente de posição para ganhar a vaga de titular.

“Com certeza (o Everton merece uma chance como titular). Quando pega uma equipe fechada assim, esses lances resolvem a partida. Ele tem entrado muito bem e espero que continue assim”, afirmou Richarlison, titular nas duas partidas até aqui.

No segundo tempo na Arena Fonte Nova, contra a Venezuela a torcida pediu em coro a entrada de Everton e Tite mandou o atacante a campo no lugar de David Neres. Individualmente, ele construiu as jogadas do segundo e terceiro gols da Seleção Brasileira. Assim, Richarlison foi questionado se os dribles estão fazendo falta ao time canarinho.

“A Venezuela é uma equipe que marca atrás da linha da bola, todos os jogadores. É difícil penetrar. Tentamos o facão, mas não deu certo. Tivemos três gols anulados, mas o juiz foi correto. Infelizmente não saíamos com a vitória, empate com sabor de derrota”, completou.

O Brasil lidera o grupo A da Copa América com 4 pontos ao lado do Peru, seu próximo adversário, no sábado, na Arena Corinthians. A Venezuela tem dois pontos, enquanto a Bolívia está com zero.

Peru – O Brasil se prepara para enfrentar o Peru na segunda rodada da Copa América, partida que acontecerá no próximo sábado, às 16h. As duas seleções voltarão a se enfrentar em amistoso na data fifa após o fim do torneio continental, no dia 10 de setembro, uma terça-feira. A partida será realizada no estádio Los Angeles Memorial Coliseum, na Califórnia.

A CBF já havia confirmado que o Brasil enfrentará a Colômbia no dia 6 de setembro, em Miami, no Hard Rock Stadium. Essas partidas amistosas serão os dois primeiros compromissos da Seleção após a Copa América.

No retrospecto dos confrontos contra o Peru, a Seleção leva ampla vantagem. O Brasil venceu 30 partidas, empatou nove jogos e perdeu para os peruanos em apenas quatro ocasiões. O saldo de gols também é muito positivo: o time verde e amarelo marcou 90 gols e tomou 29.

A primeira vez que Brasil e Peru se enfrentaram foi na Copa América de 1936, partida essa que terminou com uma vitória de 3 a 2 para os brasileiros. Na última vez que se encontraram, a Seleção saiu vencedora por 2 a 0, em jogo válido pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 e disputado em Lima.

Regenerativo – Após o empate sem gols com a Venezuela, na Arena Fonte Nova, em Salvador, a Seleção Brasileira voltou aos treinos nesta quarta-feira. As atividades desta tarde aconteceram no Barradão e contaram com os reforços de sete atletas do clube baiano.

Sem Fernandinho e os titulares que encararam a Venezuela, Tite cobrou finalizações dos brasileiros. No duelo da noite de terça-feira, a equipe canarinho deu apenas um chute na meta, com Richarlison, no primeiro tempo (os gols anulados não entram nesta contagem).

Com quatro pontos em dois jogos, o Brasil volta a campo no próximo sábado, às 16h (de Brasília), em Salvador, para encerrar sua participação no Grupo A da Copa América. 


Definição para as meninas


A definição do Grupo D da Copa do Mundo Feminina, que aconteceu nesta quarta-feira, não ajudou o Brasil a conhecer seu adversário nas oitavas de final. Com a Seleção, no Grupo C, e a China, no B, garantidas entre as quatro melhores terceiras colocadas, seguem existindo seis cenários possíveis e, em cinco deles, o rival será a França, no próximo domingo, às 16h (de Brasília), em Le Havre. No entanto, a possibilidade de o adversário brasileiro ser a Alemanha, no sábado, às 12h30 (de Brasília), em Grenoble, aumentou.

O Grupo D da Copa do Mundo Feminina teve seu encerramento na tarde desta quarta-feira. No Parque dos Príncipes, a Escócia abriu três gols de vantagem, mas a Argentina reagiu e arrancou um improvável empate no jogo mais emocionante da competição até aqui. A Inglaterra, por sua vez, saiu na frente do Japão, segurou a vantagem e ainda fez mais um para vencer por 2 a 0 em Nice. Para garantir presença nas oitavas, a seleção argentina precisa torcer por empates nos confrontos entre Camarões e Nova Zelândia e Tailândia e Chile. As partidas acontecem nesta quinta.

Melhor início da partida, a Argentina quase abriu o placar aos 17 minutos, quando Bonsegundo invadiu a área, cruzou e Larroquette cabeceou no travessão. 

No rebote, Jaimes finalizou para grande intervenção Alexander. A resposta da Escócia foi fatal. Logo em seguida, Cuthbert fez boa jogada e obrigou Correa a fazer bela defesa. Na sequência do lance, a própria camisa 22 rolou para Little completar e abrir o placar.

Precisando de uma virada garantir a classificação, as argentinas tomaram as rédeas da partida e encurralaram as rivais, mas não conseguiram chances de gols. Retraída, a Escócia contou com a força da bola parada aumentar a vantagem aos três minutos do segundo tempo. Weir cruzou da direita, e Beattie, livre na pequena área, cabeceou para as redes. Em nova investida pelo alto, Crichton cabeceou, Correa desviou e a bola bateu na trave. No rebote, Cuthbert mandou para as redes. A partir daí, a Argentina reagiu na partida. Ippolito puxou contra-ataque pelo meio e encontrou Menendez, que marcou o primeiro das sul-americanas. Em mais um contragolpe, Bonsegundo recebeu na entrada da área, girou e acertou belo chute. A bola bateu na trave e entrou: 3 a 2.

No jogo mais alucinante da Copa do Mundo Feminina, a Argentina teve um pênalti após a árbitra consultar o VAR. Na marca da cal, Bonsegundo bateu fraco no canto direito, Alexander defendeu e ainda salvou no rebote. O árbitro de vídeo, porém, entrou em ação e indicou que a goleira adiantou. Depois de ganhar mais uma chance, Bonsegundo chutou com segurança, no meio do gol, marcou e incendiou o final da partida. 


Scroll To Top