NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Ascensão meteórica pelo título

A Unidos do Viradouro pisou forte e encantou a todos na Marquês de Sapucaí, mostrando que merece estar entre as grandes do carnaval carioca

Foto: Douglas Macedo

Depois do bom resultado que levou a Viradouro a uma ascensão meteórica, o carnavalesco Paulo Barros, assim como o Mestre Ciça, já confirmou sua permanência na escola de Niterói. O presidente Marcelinho Calil se reunirá com os grandes nomes da vermelho e branca nesta semana, para definir os rumos da agremiação. A tendência é que a equipe seja mantida, em busca ao título do carnaval do ano que vem.

De acordo com Marcelinho, a anúncio do Paulo Barros foi feito de maneira antecipada pela sua importância no meio carnavalesco, mas a escola ainda avaliará ponto a ponto para definir o que será no próximo ano. 

“Eu espero acabar o Sábado das Campeãs para sentar com todo mundo e conversar. O Paulo anunciei antes porque tivemos que adiantar um assunto, até pela abrangência, então já optei resolver essa situação logo. De uma maneira geral, fiquei muito satisfeito com o trabalho dos profissionais que aqui estão e, naturalmente, mantém uma tendência de mexer o mais minimamente possível”, explicou o presidente.

Nomes como o do intérprete Zé Paulo Sierra, do casal Julinho Nascimento e Rute Alves, e da rainha de bateria Raissa Machado estão entre os mais esperados pela confirmação da ficha técnica de 2020. 

“Meu desejo é ficar, sou muito feliz e tive grandes momentos aqui. A Viradouro é uma escola que quem está fora quer entrar, e quem está dentro não quer sair”, espera Zé Paulo. 

A Viradouro vive seu momento de glória e ocupou as primeiras posições depois de 11 anos

Foto: Douglas Macedo

O enredo “Viraviradouro” retratou o renascimento da vermelho e branca, que enfrentou crises administrativas e o rebaixamento em 2015. A Viradouro vive seu momento de glória e ocupou as primeiras posições depois de 11 anos, quando justamente um enredo assinado por Barros garantiu a 5ª colocação em 2007, com “A viradouro Vira o Jogo”. 

Num enredo em que a imaginação e a magia dominam, essa foi a chance de Paulo Barros, de volta à Viradouro após 11 anos, mostrar o que mais sabe fazer: encantar o público. Bruxas, poções mágicas, príncipes e princesas tornaram os componentes crianças mais uma vez. 

Em termos plásticos, esse é considerado o melhor conjunto de fantasias e alegorias já desenvolvidos pelo carnavalesco. Por tudo isso, esse carnaval foi a volta por cima não só da Viradouro, mas também de Paulo Barros, que no ano passado amargou o nono lugar com a Vila Isabel e, em 2019, chegou ao vice-campeonato.

“É um trabalho que para mim foi muito tranquilo por conta da administração da escola. Ninguém faz nada sozinho. A gente precisa sonhar e acreditar nisso tudo”, disse o carnavalesco, garantindo que a Viradouro brigará pelo primeiro lugar em 2020.

Paulo Barros, que fez história em sua outra passagem pela Viradouro, com o carro do xadrez, que levava a bateria de Mestre Ciça, colocou a escola, novamente, em outro patamar. A vermelho e branca alcançou uma marca inédita, ao ser a melhor colocada no mesmo ano em que volta do Acesso. 

Parte disso também é o Mestre Ciça, que voltou à sua casa, onde permaneceu por 10 anos, e que por mais 10 quer ficar. 

“Estou muito feliz por voltar à Viradouro. Estamos fazendo um trabalho muito bonito com os ritmistas, fortalecendo esse quesito para ser a melhor bateria do Rio no ano que vem”, comemorou Ciça.

Scroll To Top