NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Concentração para o segundo dia de desfiles da Série A

Depois de uma noite de chuva intensa e superação na Passarela do Samba, os desfiles da Série A do carnaval carioca tem sequência neste sábado (2), a partir das 22h30. O público já começou a encher as arquibancadas e a primeira escola a desfilar, Unidos de Bangu, já se prepara na concentração. No total, seis escolas apresentam seus enredos ao público e jurados, em busca do tão sonhado título, que garante o passe para a elite do samba no ano que vem.

A Unidos de Bangu começa a série de desfiles com um alerta social. O enredo “Do Ventre da Terra, raízes para o mundo” conta a história das raízes que alimentam o povo, como a batata, trazendo uma mensagem contra a fome e a miséria no Brasil.

Em seguida, a Renascer de Jacarepaguá mostra ao público a tradicional festa de Iemanjá que acontece em Rio Vermelho, bairro de Salvador, na Bahia, com “Dois de Fevereiro no Rio Vermelho”.

O enredo escolhido pela Estácio de Sá em 2019 é “A fé que emerge das águas”, do carnavalesco Tarcísio Zanon. A agremiação, que é a terceira a desfilar, fala sobre a devoção humana, a partir da imagem do Cristo Negro de Portobelo, encontrada no mar do Caribe.

De São Gonçalo para a Sapucaí, a Porto da Pedra, quarta a desfilar, faz uma bela homenagem ao ator Antonio Pitanga, que completa 80 anos de vida e 60 de carreira. Aspectos mais significativos de sua trajetória serão relembrados em plena Sapucaí.

Logo depois, a Império da Tijuca apresenta o enredo “Império do Café, o Vale da Esperança”, desenvolvido por Jorge Caribé.

Na briga pelo título, a Acadêmicos do Cubango fecha os desfiles da Série A, retratando os ex-votos, presentes dados pelos fiéis aos santos em agradecimento por uma graça alcançada. “Igbá Cubango - a alma das coisas, a arte dos milagres” é desenvolvido pela dupla Gabriel Haddad e Leonardo Bora, que mais uma vez assinam o carnaval da escola da verde de branca de Niterói.  

Scroll To Top