NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Público lota Sambódromo no Desfile das Campeãs

Os desfiles do Sábado das Campeãs começaram com arquibancadas, camarotes e frisas lotadas e um público empolgado. O clima nas arquibancadas esquentou com o anúncio dos nomes das escolas que se apresentariam na noite. A resposta em aplausos foi imediata.
 
A descontração foi o forte dos componentes, que, enfim, não precisavam se preocupar com os jurados. Houve até quem não estivesse com a fantasia completa, mas o que importava era a alegria de estar entre as campeãs do carnaval do Rio de Janeiro.

Sambódromo lotado é recompensa por trabalho do ano inteiro, diz Liesa

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Jorge Castanheira, disse que a venda total dos ingressos para os desfiles do Sábado das Campeãs, no Sambódromo, é um sinal do sucesso que foi o carnaval de 2019. Segundo Castanheira, as agremiações do Grupo Especial superaram as dificuldades financeiras que enfrentaram para desenvolver os seus enredos.

“Da nossa parte tentamos fazer de tudo, as escolas se superando e tentando fazer de tudo para apresentar um grande espetáculo. Foi assim nos ensaios técnicos, foi assim o ano inteiro e, agora, a gente chega a esse momento com uma passarela lotada. Todos os ingressos vendidos graças a Deus”, afirmou.

Para ele, o Sambódromo lotado é a recompensa pelo trabalho de um ano inteiro. “O público prestigiando, essa é a maior recompensa para as escolas de samba e para a Liga. Saber que o público enxerga e acredita que, com toda dificuldade e toda a crise que nós passamos de uma maneira geral, nós conseguimos entregar um belo produto”, disse.

Aparar arestas

De acordo com o presidente, a realização dos desfiles na Marquês de Sapucaí esteve ameaçada. Poucas horas antes da abertura na sexta-feira (1º), havia pendência de uma autorização do Corpo de Bombeiros para o funcionamento seguro do Sambódromo. Antes disso, fiscalizações de órgãos públicos quase paralisaram as atividades nos barracões na Cidade do Samba, na região portuária do Rio.

Para Castanheira, no entanto, há espaço para durante este ano haver um debate com as autoridades e as escolas para que sejam sanadas as pendências. “Acho que tudo tem que ser planejado sim. A Riotur e a prefeitura têm que tomar as medidas necessárias para implementar as mudanças que forem apontadas. Nós da Cidade do Samba também temos que fazer a nossa parte. É um equipamento do município, e a gente também precisa dessa atenção para não correr nenhum risco”, afirmou.

Administração

Sobre a intenção do governador Wilson Witzel (PSC-RJ) de discutir a volta da administração do Sambódromo para o estado do Rio de Janeiro, Castanheira disse que não daria opinião porque trata-se de um assunto do setor público. “Primeiro, tem a titularidade do espaço: o Sambódromo foi construído pelo estado [inaugurado em 1984] e está sob a direção da prefeitura. Temos que aguardar qual vai ser a definição do gerenciamento entre os governos estadual e municipal”, afirmou.

O presidente da Liesa disse que o Sambódromo precisa de investimentos para se modernizar. Pelo modelo atual, as escolas recebem subvenção da prefeitura do Rio, que vem reduzindo os valores com o argumento de que as agremiações precisam conseguir patrocínio do setor privado.

“Se a gente não depende da prefeitura, depende de qualquer outro setor. De onde vão sair os recursos? Quem é mais beneficiado com os desfiles das escolas de samba aqui no Rio é a prefeitura. É um discurso meio distorcido. Isso tem que ser revisto. Creio que o prefeito [Marcelo Crivella] vai enxergar melhor a situação, no momento em que ele tiver o regime financeiro da prefeitura melhorado”, acrescentou.

Superação

Para o presidente da Riotur, Marcelo Alves, a venda total dos ingressos na Sapucaí para o Sábado das Campeãs mostra uma superação de todos que participaram da preparação do carnaval. Alves destacou ainda o número de turistas, que superou 1,6 milhão visitantes, com 90% de ocupação hoteleira, e o recorde de foliões nas ruas. “Estou muito feliz, porque foi um trabalho de todos que gerou resultados”, afirmou.

Segundo Alves, houve um planejamento do carnaval de 2019 em que vários setores foram ouvidos. “A gente fez isso este ano. Foi um ano antes, planejando, debatendo com todos os órgãos e moradores e com as escolas também”, disse o presidente da Riotur, defendo o aumento dos patrocinadores do carnaval.

“Vejo um caminho muito positivo para os desfiles das escolas de samba na questão de patrocínio desse espetáculo que tem que crescer ainda mais. No que depender da Riotur, evidentemente, pode contar que a gente vai fazer esse espetáculo ainda maior”, argumentou.

Sobre a transferência do Sambódromo para o estado, Alves disse que o apoio do governador é bem-vindo. “Isso é uma conversa dele com o prefeito. O que tange à Riotur é entregar o melhor carnaval, como nós entregamos. Se o governador está vendo isso como uma forma de apoio é muito bem-vindo, porque a gente precisa de mais apoio e, principalmente, de mais recursos para fazer nosso espetáculo, como a arena também ainda mais moderna”, completou.

Fonte: EBC 

Scroll To Top