NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Acusado de chefiar quadrilha de ladrões de carga é caçado

Agentes da 74ª DP (Alcântara) caçam um homem apontado como líder de uma das maiores quadrilhas especializadas em roubo de cargas de cigarro em Niterói e São Gonçalo. O bando tem suas ações monitoradas há oito meses e a maior parte de seus 20 membros já está presa. Apenas o líder, identificado pelo apelido de Pará, e um suposto comparsa, identificado como Paulo Vitor, que seria seu motorista, continuam foragidos.

Investigações apontam que Pará seria responsável por todas as ações da gangue, geralmente estando no local dos crimes, usando disfarces como máscaras e chapéus camuflados. Quando não está presente, atuaria à distância como mentor intelectual. Segundo a polícia, para monitorar a saída dos caminhões com as cargas de cigarro, os criminosos fazem tocaia na porta dos galpões de distribuidoras da Souza Cruz. Com as informações obtidas, montam um cerco nas rodovias para efetuar os assaltos.

No último dia 5, agentes da 74ª DP e do 7º BPM (São Gonçalo) prenderam dois acusados de integrar a quadrilha, identificados como Bruno e Rafael, logo após o roubo de uma carga de cigarros em Alcântara, que foi recuperada. Na ocasião, Pará e um comparsa teriam conseguido fugir. Outros dois acusados foram presos recentemente. Felipinho, foi capturado no Shopping Partage, há três meses. Vitinho foi pego há seis meses, em Tribobó. Pará e Paulo Vitor são acusados de três ocorrências de roubo de carga na região na semana passada. Pará, segundo a polícia, não tem origem em nenhuma comunidade de Niterói e São Gonçalo.

Outro caso – Na manhã de segunda-feira (15), um motorista e dois ajudantes que transportavam carga de ração para cães e gatos da Pavuna, no Rio, para distribuir em estabelecimentos de São Gonçalo, ficaram uma hora em poder de criminosos. O caminhão foi abordado às 9h30 na Estrada Almirante Pena Boto, no acesso à RJ-104, em Vista Alegre, por bandidos armados em duas motos. Os trabalhadores foram levados para uma comunidade, onde foram obrigados a descarregar 170 sacos de ração, avaliados em cerca de R$ 12.700, que, juntos, somavam 2.2 toneladas. O bando também roubou três celulares e pertencentes das vítimas. 

Por volta de 12h30, agentes 7º BPM (São Gonçalo) que realizavam patrulha de rotina no Mundel localizaram os sacos de ração abandonados em uma rua, devido ao seu baixo valor de mercado. 

Scroll To Top