NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Bolsonaro quer olho na votação

Jair Bolsonaro convocou os eleitores a lutar até o último momento. Sua campanha fará apuração paralela dos votos

Reprodução redes sociais

m uma transmissão ao vivo pelo Facebook na noite deste sábado (27), Jair Bolsonaro fez seu último comunicado aos eleitores antes do término da campanha eleitoral. O candidato do PSL à Presidência da República pediu que seus eleitores fiscalizem a votação com vistas a “uma apuração paralela” que será feita por sua campanha. Segundo o candidato, as eleições não estão ganhas.

“Temos que lutar até o último momento, não vamos dar a oportunidade para eles”, afirmou. “Você vai ter que voltar às cinco da tarde lá na sessão eleitoral e tirar uma fotografia da cabeça do boletim de urna. Automaticamente, (a foto) vai para um local onde nós fazemos a consolidação disso para que nós venhamos a ter certeza de que nós tivemos uma votação que nos dê esse mandato”, explicou. “A gente não pode, não tem como acreditar em se mudar 20 milhões de votos em dois dias. Isso é impossível, não tem como”, avaliou o candidato.

Bolsonaro também falou sobre o atentado que sofreu em Juiz de Fora (MG) e insistiu que seu agressor não agiu sozinho. Ele foi esfaqueado no abdômen em  ato político na cidade mineira no dia 6 de setembro.

“Eu não acredito num lobo solitário”, disse. “Até porque um cara fazer um ato daquele, o que seria normal? Ser linchado pela multidão”, avaliou. “Agora, as informações que eu tive, o policial que segurou lá o Adélio levou pancada de várias pessoas que estavam dando proteção ao Adélio, então foi um negócio planejado, programado”, afirmou Bolsonaro.

A conclusão de um inquérito da Polícia Federal encaminhado para o Tribunal de Justiça de Juiz de Fora (MG) no mês passado é de que Adélio agiu sozinho do dia do atentado contra o candidato.

A Justiça Federal assumiu neste sábado (27) a condução de mais um inquérito instaurado para apurar o ataque contra Bolsonaro (PSL).

Flores brancas - Com bandeiras, camisetas e gritos de apoio, dezenas de simpatizantes do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, já estavam, nas primeiras horas de sábado, posicionados em frente ao condomínio onde ele mora, na Barra da Tijuca. Na rua em frente, simpatizantes buzinaram e colocaram a mão para fora dos carro.

A segurança no local está reforçada – um edifício vizinho ao condomínio, inclusive, contratou mais pessoal.

Logo cedo, um entregador de flores deixou na portaria um buquê de rosas brancas. Abordado pela reportagem da Agência Brasil, o funcionário confirmou que eram destinadas a Bolsonaro com os cumprimentos da família do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra. O militar, apontado como torturador e morto em 2015, é citado de forma elogiosa pelo candidato do PSL.

Pouco antes, o pastor Silas Malafaia deixou o local, depois de uma visita de 20 minutos. Malafaia disse que tomou café com Bolsonaro, conversou sobre as dificuldades do país e fez uma oração pelo candidato. Segundo ele, Bolsonaro não vive o clima de vitória, mas de concentração nos últimos momentos antes do segundo turno.

“O povo brasileiro sabe que Haddad representa a maior história de corrupção da história do Brasil. O povo brasileiro tem memória. Vai colocar um corrupto no poder? Mas não tem festa, não tem clima de já ganhou. Estão trabalhando. A eleição é o povo que decide”, afirmou o pastor.

Questionado sobre a pauta evangélica, Malafaia lembrou ter celebrado o casamento de Bolsonaro com Michelle, mas destacou que o candidato não é evangélico e que a pauta social está nas mãos do Congresso. “Se eu pensasse que a vitória de Boslonaro é para atender anseios de evangélicos seria muito medíocre.”

Vizinhos - Moradores do condomínio na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, onde mora o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, receberam ontem um comunicado que os orienta a votar o mais cedo o possível neste domingo . As zonas eleitorais funcionam de 8h às 17h. A recomendação se sustenta no movimento que é esperado no local.

A estimativa da Polícia Militar é que 500 mil simpatizantes venham para a frente do conjunto habitacional. Intensa movimentação é observada todos os dias da semana, mas, sábado o número de apoiadores foi maior.

Scroll To Top