NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Cabral quer ser transferido para presídio em Niterói

Sérgio Cabral, ex-governador do Rio condenado a cumprir mais de 200 anos de prisão por crimes de caixa dois e recebimento de propina, solicitou, ontem, ser transferido de prisão. Cabral, que está preso no presídio Bangu 8, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, quer ir para o Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar, no Fonseca, em Niterói, onde seu aliado, o também ex-governador Luiz Fernando Pezão, cumpre pena.

Segundo a defesa de Cabral, o político deve ser transferido de unidade porque, após confessar seus crimes e citar nomes em depoimentos, buscando redução de pena, o ex-governador passou a correr riscos no que diz respeito a sua integridade física.

“O requerente deu início em seus interrogatórios à confissão de seus atos delituosos. Neste quadro, os depoimentos já prestados e aqueles que estão por vir, criam apreensão em pessoas passíveis de serem informadas às autoridades competentes, muitas presas no mesmo ambiente, sua segurança pessoal merece cuidado”, redige Márcio Delambert, advogado de Cabral, em seu pedido de transferência. 

Quebra de sigilo fiscal - A 5ª Vara de Fazenda Pública do Rio determinou a quebra do sigilo fiscal do empresário Walter Faria (sócio da Cervejaria Petrópolis e da importadora Barley Malting), do ex-governador Sérgio Cabral, dos ex-secretários Júlio Bueno e Régis Fichtner e do agente fazendário Ary Filho. Eles são acusados pelo Ministério Público de direcionar decretos para conceder benefícios fiscais à Barley em troca de R$ 54 milhões em propinas. Com o esquema, cerca de R$ 53,6 milhões em impostos teriam deixado de entrar nos cofres públicos.n

Scroll To Top