NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Salário mínimo: nova política de reajuste só no fim do ano

Guedes compareceu à audiência em Comissão Mista do Congresso

Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

A política de reajuste do salário mínimo só será definida perto do fim do ano e depende do avanço das reformas estruturais, principalmente a da Previdência, disse o ministro da Economia, Paulo Guedes. Em audiência na terça-feira na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso, ele esclareceu que o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020 apenas faz estimativas da correção pela inflação, sem estabelecer uma política definitiva sobre o tema.

De acordo com o ministro, o governo pode até conceder reajustes reais (acima da inflação), caso as reformas sejam aprovadas, e a economia volte a crescer com mais vigor. 

“Não definimos a política de salário mínimo. Isso naturalmente passa pelas reformas. Podemos seguir, ano a ano, observando. Se a conjuntura for favorável e as reformas progredirem, obtemos fôlego para anunciarmos algo mais à frente e mais audacioso”, declarou Guedes.

Atualmente, o salário mínimo está em R$ 998. A proposta de LDO enviada ao Congresso prevê um salário mínimo de R$ 1.040 em 2020, R$ 1.082 em 2021 e R$ 1.123 em 2022, sempre seguindo as expectativas de variação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para as famílias de menor renda.

 Guedes disse que cada R$ 1 de aumento no salário mínimo tem impacto de R$ 300 milhões no Orçamento da União. “É pouco para quem recebe, caro para quem paga e desastroso para o quadro fiscal. Por uma atitude de prudência, temos a possibilidade, até 31 de dezembro, de criar uma nova trajetória para o salário mínimo”, explicou.

Imposto de renda – As deduções do Imposto de Renda podem ser revistas, em troca de uma alíquota menor, disse também o ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele falou que o governo pretende tratar do tema na discussão das desonerações e isenções que constará da proposta de reforma tributária. Guedes também criticou a pejotização que permite a pessoas físicas trabalharem como pessoas jurídicas e pagarem menos imposto de renda. 

Scroll To Top